A polícia invadiu nesta terça-feira  (13/4) a sede da Agência Nacional de Notícias Tunisiana (TAP) em uma tentativa de conter os protestos de jornalistas sobre a nomeação de um novo diretor-geral. A Federação International de Jornalistas (IFJ), juntou-se à sua afiliada tunisiana SNTJ para pedir o fim das nomeações políticas na agência.

Diversos vídeos mostraram o momento da invasão e a polícia agredindo os jornalistas. Em respostas os jornalistas gritaram e exigiram que a polícia abandonasse o local.

Jornalistas têm protestado desde que as autoridades procuraram impor Kamel Ben Younes como o novo chefe da agência – movimento considerado por alguns críticos como uma nomeação política e que apontavam que ele havia apoiado movimentos para controlar a imprensa antes dos protestos de 2011.

Dezenas de jornalistas reuniram-se em frente à sede da Tunis Afrique Presse (TAP), gritando “TAP é livre”. O SNTJ ameaçou greve se a nomeação não for retirada.

Em comunicado, o SNTJ disse que se opõe veementemente a nomeações políticas em organizações de mídia públicas.

Segundo o secretário-geral da IFJ, Anthony Bellanger,

“A operação de hoje não é apenas uma ameação aos jornalistas da agência, mas uma ameação à liberdade da mídia na Tunísia. Essas nomeações políticas não têm lugar na mídia de serviço público. Parabenizamos os jornalistas SNJT e TAP que se levantaram para defender o seu direito à independência e os direitos dos cidadãos a uma informação de qualidade”.

 

Leia também: 

Jornalismo investigativo: assassinato de repórter grego choca Europa

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.