A brasileira Natália Leal, diretora de conteúdo da Agência Lupa, foi indicada para receber o Prêmio Knight Internacional de Jornalismo 2021, oferecido pelo ICJ (International Center for Journalists), uma das mais respeitadas organizações do setor. Junto com Natália também será premiada a jornalista tcheca Pavla Holcová, que conduziu uma investigação após o assassinato de um colega jornalista.

“Essas mulheres nos mostram como o jornalismo está cumprindo duas de suas funções mais essenciais: fornecer informações que salvam vidas em face da desinformação massiva e responsabilizar integrantes de governos por meio de reportagens investigativas destemidas”, disse a presidente do ICFJ, Joyce Barnathan. “Natália e Pavla enfrentaram ataques para dizer a verdade e nenhuma recuou.”

Ao anunciar a indicação de Natália, o ICJ destacou o trabalho dela e da equipe da Agência Lupa para expor a desinformação espalhada pelo presidente Jair Bolsonaro e por outros atores políticos.  

“Bolsonaro minimizou repetidamente a Covid-19, apesar de pelo menos 450 mil  brasileiros terem morrido pela doença, mais do que qualquer outro país, exceto os Estados Unidos”, disse o ICJ. 

A Agência Lupa conduziu mais de 700 verificações de fatos sobre a pandemia, desmascarando rumores como o de que caixões vazios estavam sendo enterrados para tornar a pandemia mais grave e que mais pessoas morreram no Brasil em 2019 do que em 2020. Essas verificações de fatos levaram a ataques online contra a jornalista. 

A entidade também elogiou a iniciativa de criar a ferramenta de visualização de dados  “No Epicentro”, que simula para um usuário como seria seu bairro se todos os brasileiros mortos por coronavírus estivessem concentrados nas proximidades, demonstrando a distância que o usuário teria que viajar de casa para encontrar outra pessoa viva. A ferramenta inovadora inspirou o The Washington Post a replicar o projeto para os Estados Unidos.

A jornalista disse que o prêmio é um reconhecimento à importância do trabalho de checagem de fatos nesse momento em que a desinformação não pára de crescer. 

Nosso trabalho tem feito diferença, ajudando a informar a sociedade e a proteger a democracia. A checagem de fatos qualifica o debate público ao levar mais conhecimento para que as pessoas tomem decisões melhores, e isso se tornou fundamental no Brasil”, disse Natália. Ela acha que é um marco o Brasil ter recebido o prêmio, mostrando o valor do jornalismo brasileiro e chamando a atenção para o que acontece no país.

O Instituto fez um vídeo apresentando o trabalho de Natália e da Agência Lupa.

Em dezembro de 2020, Natália Leal participou de uma live do MediaTalks sobre desinformação na pandemia, ao lado do médico Dráuzio Varella e do diretor da organização Repórteres sem Fronteiras Emmanuel Colombié. Veja aqui um resumo das opiniões de Natália e um vídeo compacto da live

Pavla Holcová

A outra homenageada este ano é a jornalista da República Tcheca Pavla Holcová, que estava trabalhando com o colega eslovaco Ján Kuciak em uma investigação que explorava as ligações entre a máfia italiana e o governo eslovaco. Depois que Kuciak e sua noiva foram assassinados em 2018, a repórter  prometeu dar continuidade ao projeto –  e sua reportagem para o Projeto de Denúncia de Crime Organizado e Corrupção (OCCRP) contribuiu para a queda do governo eslovaco. 

Ela conseguiu vazar o arquivo da polícia sobre Marian Kočner, a oligarca que supostamente estaria por trás do assassinato de Kuciak. Em vez de buscar os dados por conta própria, ela os compartilhou com dezenas de veículos de comunicação eslovacos. O assassinato de Kuciak e as investigações de Holcová e outros jornalistas geraram protestos em massa na Eslováquia, que acabaram por derrubar o governo do primeiro-ministro Robert Fico em 2018.

Suas reportagens também contribuíram para a investigação de um ex-procurador-geral, acusações contra 21 juízes e a renúncia de toda a ex-alta administração da polícia. Holcová conduziu sua investigação apesar das ameaças de políticos, trolls nas redes sociais e até mesmo de outros jornalistas.

O prêmio será entregue em novembro, na cerimônia Tributo aos Jornalistas 2021. Serão homenageados também dois jornalistas norte-americanos que ganharão prêmios. Bill Whitaker receberá o Prêmio de Fundadores do ICFJ por sua carreira de quatro décadas na CBS News. E  Anne Applebaum, do The Atlantic, é a vencedora do Prêmio Excelência em Reportagem Internacional, por suas análises incisivas sobre a deterioração da democracia na Europa Oriental e na ex-União Soviética.

Leia também

Imprensa brasileira foi a que mais ajudou sua população a entender a vacina para a Covid, demonstra estudo

 

Jornalistas da CNN e Washington Post espionados por Trump inspiram lei para proibir a prática nos EUA

Brasileiros entre os que mais temem efeitos de restrições à liberdade de expressão sobre a democracia