O ataque a um jornalista da BBC por manifestantes contrários ao isolamento social na última segunda-feira (14/6) em Londres foi recebido com indignação e classificado de atentado à liberdade de imprensa. Na terça-feira, o primeiro-ministro Boris Johnson e a secretária do Interior, Priti Patel, condenaram a agressão sofrida por Nick Watt, editor de política do programa Newsnight.

O protesto na área central de Londres, onde fica a sede do governo e os ministérios, era contra o adiamento da abertura total do país, prevista para o dia 21 de junho e atrasada em duas semanas devido ao aumento de casos de Covid-19 e da expansão da variante indiana do vírus. Watt estava filmando na área para uma matéria do Newsnight. Foi perseguido e insultado, com pessoas chamando-o de “traidor”. 

Boris Johnson twittou : “É uma pena ver a perseguição de Nick Watt fazendo seu trabalho. A mídia deve ser capaz de relatar os fatos sem medo ou favorecimento – eles são a força vital de nossa democracia ”.

As imagens do jornalista sendo atacado foram transmitidas por ativistas em seus próprios canais no YouTube. Um homem foi interrogado pela polícia metropolitana e um outro estava sendo procurado, com base nas imagens.

O Sindicato Nacional de Jornalistas criticou a atuação dos policiais, que são vistos nas filmagens enquanto Watt é perseguido, mas nada fizeram. 

A BBC disse em um comunicado na terça-feira: “A segurança de jornalistas é fundamental para qualquer democracia – eles precisam ser capazes de trabalhar sem intimidação ou abuso. Não há qualquer justificativa para jornalistas serem tratados dessa forma.”.

A ministra do Interior, Priti Patel, disse no Twitter: “O vídeo de Nick Watt, da BBC Newsnight, sendo abusado por uma multidão, é assustador e angustiante. Este comportamento não é aceitável.”

Em março, o país criou um Comitê de Proteção a Jornalistas, envolvendo agências governamentais, entidades e forças policiais. 

A animosidade contra a mídia e contra a BBC  está sendo insuflada ainda mais depois da entrada no ar a nova emissora de TV, a GB News, que estreou domingo. Criada por integrantes da ala mais direitista do Partido Conservador britânico e financiada por grandes doadores do partido, a emissora posiciona-se contra a BBC, contra o comportamento “politicamente correto” e critica as medidas de isolamento social impostas pelo Governo. 

Leia mais

Nacionalista “Fox News britânica” entra no ar para enfrentar a BBC e o politicamente correto

Direitos autorais reservados. Reprodução no todo ou em parte autorizada desde que citados a fonte e o autor, com link para o artigo original.