A Autoridade de Concorrência e Mercados do Reino Unido (CMA na sigla em inglês) abriu um processo para analisar se a concentração de mercado exercida por Google e Apple está prejudicando consumidores de dispositivos móveis, como smartphones. 

O CMA teme que o duopólio das duas gigantes de tecnologia possa estar sufocando a concorrência em uma variedade de mercados digitais, o que pode levar “à redução da inovação em todo o setor e aos consumidores pagando preços mais altos por dispositivos e aplicativos, ou por outros bens e serviços, devido aos preços mais elevados de publicidade”, diz um comunicado do órgão à imprensa.

Os chamados “ecossistemas móveis” reúnem serviços como música, TV e streaming de vídeo, compras, serviços bancários e também tecnologias que rodam nos dispositivos inteligentes, como alto-falantes, relógios, segurança doméstica e iluminação.

A análise da CMA, anunciada na última terça-feira (15/6) se aplica ao fornecimento de sistemas operacionais de Apple e Google (iOS e Android), lojas de aplicativos (App Store e Play Store) e navegadores da web (Safari e Chrome).

O órgão analisará também a influência e os efeitos do poder de mercado do Google e da Apple sobre outras empresas – como desenvolvedores de aplicativos – que dependem das duas gigantes digitais para comercializar seus produtos. 

Leia também: A controvérsia da Private Sandbox do Google no Reino Unido
Foto: Laurenz Heymann/Unsplash

Andrea Coscelli, CEO da CMA declarou que  “a Apple e o Google controlam os principais meios através dos quais as pessoas baixam aplicativos ou navegam na web em seus celulares – quer queiram fazer compras, jogar, ouvir música ou assistir TV. Estamos investigando se isso pode estar criando problemas para os consumidores e as empresas que desejam alcançar as pessoas por meio de seus telefones“. 

Coscelli diz também que os resultados do estudo serão utilizados para formular planos futuros sobre o tema. A análise dos ecossistemas móveis faz parte de um programa mais amplo de trabalho do órgão britânico, que inclui o estabelecimento de um novo regime regulatório pró-concorrência para os mercados digitais.

Nosso trabalho já revelou tendências preocupantes e sabemos que consumidores e empresas podem ser prejudicados se não forem controlados. É por isso que estamos pressionando com o lançamento deste estudo agora, enquanto estamos configurando a nova Unidade de Mercados Digitais.

A CMA tem até 12 meses para concluir o estudo. O órgão vai receber sugestões e opiniões sobre qualquer uma das questões levantadas na declaração de escopo até 26 de julho. Desenvolvedores de aplicativos também podem mandar suas considerações por meio deste questionário até a mesma data. 

Ao jornal britânico The Times, um porta-voz do Google declarou que “o Android oferece às pessoas mais opções do que qualquer outra plataforma móvel para decidir quais aplicativos usar e permite que milhares de desenvolvedores e fabricantes criem negócios de sucesso. Consideramos bem-vindos os esforços da CMA para compreender os detalhes e as diferenças entre as plataformas antes de projetar novas regras”.

Já a Apple não quis comentar.

Leia também

UK cria órgão regulador para fiscalizar Google e Facebook

Criptografia de ponta a ponta do Facebook na mira do Governo britânico