A empresa e plataforma digital Amazon está planejando lançar muito em breve seu próprio aparelho de TV nos Estados Unidos (EUA), possivelmente já no próximo mês de outubro, apurou o site Business Insider em reportagem publicada nesta quinta-feira (2/9). 

Os aparelhos, que serão controlados pela assistente de voz Alexa, são projetados e fabricados por terceiros. Uma das empresas parceiras, segundo o Insider, é a TCL, fabricante chinesa que também fez TVs para Alcatel e Samsung. A empresa não se manifestou publicamente.

Espera-se que os modelos sejam televisões de tela grande na faixa de 55 a 75 polegadas. A Amazon também estaria trabalhando internamente em uma TV projetada 100% dentro da empresa.

A plataforma digital já lançou uma TV AmazonBasics na Índia no final do ano passado, e também se associou a outros fabricantes para vender exclusivamente TVs com seu software Fire TV integrado, mas esses modelos sempre carregaram a marca do fabricante, como a Toshiba, por exemplo.


Em novas casos de assédio na ABC e BBC, funcionárias denunciam chefes e acusam TVs de omissão


Parceria da plataforma digital na Índia gerou críticas ao funcionamento da Alexa

O lançamento da Amazon colocaria o gigante do e-commerce em competição direta com outras empresas de eletrônicos, incluindo Samsung, LG e Sony, que, em muitos casos, vendem por meio do mercado online da Amazon.

A TV da Amazon vendida na Índia é fabricada pela Radiant Appliances and Electronics Pvt Ltd. Ela possui um sistema operacional Fire TV e também controles de voz Alexa. A versão de 55 polegadas é vendida atualmente por cerca de US$ 588 (aproximadamente R$ 3.044), enquanto a versão de 50 polegadas custa cerca de US$ 506 (R$ 2.619). 

Avaliações dos produtos reclamaram que o logotipo da AmazonBasics pisca na tela por 15 minutos antes que eles possam assistir à programação, ou que Alexa não funciona bem.

Em 2018, a Amazon lançou uma série de dispositivos domésticos com tecnologia Alexa, incluindo um forno de micro-ondas e um sistema de som. O objetivo é tornar Alexa o mais onipresente possível e facilmente acessível, colocando-a em áreas onde as pessoas passam mais tempo.


Leia também

Com investimento anual de R$ 600 milhões, lobby das Big Techs já é o mais poderoso da Europa, mostra estudo


Funcionários da Amazon consultados pelo Insider afirmaram que Alexa ainda é usada principalmente para funcionalidades simples, como tocar música ou pedir horas.

Em outra frente no mundo offline, a Amazon vem investindo há um ano em “mercadinhos de bairro”. No Amazon Fresh, clientes escolhem seus produtos nas gôndolas e apenas deixam a loja, sem passar por caixas. Basta usar o aplicativo da plataforma digital e a cobrança é feita eletronicamente.

Em 2017, a Amazon comprou a rede de supermercados de alimentos orgânicos Whole Foods por US$ 13,7 bilhões (R$ 70,8 bilhões). 

Leia também

USA Today é o mais novo grande jornal dos EUA a cobrar por conteúdo digital