Londres – O designer de brinquedos T.Mark Taylor, criador do visual do He-Man e das Tartarugas Ninja, morreu aos 80 anos em em sua casa na Califórnia.

A morte do artista foi anunciada na véspera do Natal nas mídias sociais por sua esposa, Rebecca Salari Taylor, também artista gráfica. Ela escreveu:

“Mark Taylor faleceu pacificamente esta manhã em casa. Eu o senti se despedir deste mundo enquanto o segurava em meus braços para um beijo amoroso final.”

Personagens do criador do He-Man entraram para história da cultura pop

A causa da morte foi insuficiência cardíaca congestiva, disse a família de Taylor em um e-mail para a Associated Press.

Embora Taylor não tenha criado nenhum dos personagens com os quais ficou associado, seu trabalho como designer ajudou a transformá-los em imagens icônicas da infância para crianças em todo o mundo.

He-Man faz parte do elenco do Masters of Universe (Mestres do Universo). 

Na história, ele vive no planeta Etérnia, um mundo aparentemente medieval, mas repleto de tecnologias avançadas, comandado pelo justo rei Randor. O herói, que na verdade é o filho do rei, Adam, protege o reino dos ataque sdo vilão Esqueleto.

A série de brinquedos também foi transformada em uma série de animação para a televisão na década de 1980, bem como em um filme estrelado pelo sueco Dolph Lundgren como o personagem principal.

Criador do He-Man também desenhou as Tartarugas Ninja

Michelangelo, Donatello, Raphael e Leonardo, as Teenage Mutant Ninja Turtles (Tartarugas Ninja), também nasceram nos anos 1980.

Os “cavaleiros” amantes de pizza começaram originalmente como piadas, quando Kevin Eastman e Peter Laird , que queriam ser cartunistas, desenharam tartarugas heróicas para se divertir. 

Assim como no He-Man, Mark Taylor não inventou os personagens, mas criou a imagem que ficou imortalizada em desenhos, animações e brinquedos vendidos em todo o mundo. 

Em 2015, ele foi entrvistado durante um encontro para celebrar He-Man e a heroína feminina  She-Ra no Egyptian Theatre em Hollywood, e falou sobre sua trajetória como criador e artista. 

O falecimento do designer foi comentado nas mídias sociais, com fãs e canais de admiradores da cultura pop compartilharando o trabalho de Taylor. 

Criador do He-Man começou desenhando embalagens para a Barbie 

Terrell Mark Taylor nasceu em 5 de junho de 1941. Antes de iniciar a carreira de designer de brinquedos, trabalhou para o Departamento de Defesa dos EUA, onde, segundo sua família, esteve envolvido em projetos relacionados a submarinos, tecnologia de sonar e pesquisas de fundo do mar.

No início de seu trabalho para a americana Mattel, ele ajudou a projetar embalagens para a Barbie. Depois disso mergulhou na criação dos Mestres do Universo, cuja imagem ele disse ter sido inspirada na figura dos homens pré-históricos Cro-magnon e nos vikings. 

Em 1987, Taylor ajudou a projetar a linha original Teenage Mutant Ninja Turtles para a Playmates Toys.

Tanto He-Man quanto os Mestres do Universo e Teenage Mutant Ninja Turtles passaram a estrelar programas de televisão, spin-offs e inspiraram outras franquias que continuam a ir ao ar hoje.

A Mattel vendeu mais de 70 milhões de bonecos da sua coleção Masters of the Universe – que chegou às lojas em 1982 – durante os primeiros dois anos e meio da marca, de acordo com o The New York Times.

He-Man gay ?

A popularidade do He-Man não ficou restrita a crianças. O personagem virou símbolo para a comunidade gay, embora sua sexualidade tenha permanecido um mistério, e não foi abordada no recente filme da Netflix. 

Já no remake de She-Ra, um derivado do mesmo universo, que começou em 2018 e teve cinco temporadas, duas princesas lésbicas se beijaram na tela na cenal final, em 2020.

A personagem Catra confessou seu amor por Adora, que admitiu que os sentimentos eram correspondidos. Elas trocam um beijo antes de Adora se transformar em She-Ra mais uma vez.

Em junho passado, o site de notícias Insider fez uma pesquisa para mapear a tendência de inclusão nas animações ao longo dos últimos anos, e criou  o primeiro banco de dados de personagens LGBTQ+ em desenhos animados. 

O levantamento, que pesquisou produções exibidas desde os anos 80, encontrou 259 personagens LGBTQ+. O primeiro da lista é o Esqueleto, de SuperTed, uma série britânica sobre um urso de pelúcia com superpoderes, que foi ao ar no Disney Channel em 1983. 

Leia mais 

Filho bissexual do Superman segue tendência iniciada nos anos 80 em cartoons infantis, mostra pesquisa

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.