Londres – Poderia ser o casamento do ano em Londres, mas apenas quatro pessoas – dois convidados e dois guardas prisionais – assistirão ao enlace entre o fundador do Wikileaks, Julian Assange, e sua companheira Stella Moris, finalmente marcado para o dia 23 de março depois de uma batalha judicial. 

Embora o direito de se casar na prisão seja assegurado no Reino Unido por uma lei de 1983, o casal teve que recorrer à justiça em outubro passado para receber a autorização de realizar a cerimônia na prisão de segurança de Belmarsh, onde ele está há quase três anos aguardando o resultado final do processo de extradição movido pelos EUA a fim de julgá-lo em solo americano pelo vazamento de informações militares confidenciais. 

Mesmo com poucos convidados, os noivos se apresentarão em grande estilo, com trajes desenhados pela estilista britânica Vivienne Westwood, uma das celebridades que defende a libertação do fundador do Wikileaks. Ele usará um ‘kilt’, para lembrar sua ascendência escocesa. 

Casamento de Assange tinha sido pedido em maio 

A autorização para o casamento, que vinha sendo tentada desde maio passado, foi confirmada pela companheira de Assange, Stella Moris, com quem ele tem dois filhos de três e quatro anos, Max e Gabriel, 

Stella Morris é advogada e conheceu Assange durante seu asilo na embaixada do Equador, que durou quase sete anos. Os filhos nasceram enquanto ele estava na representação diplomática. 

O casamento vai acontecer durante o horário de visitas e será rápido, segundo a companheira do fundador do Wikileaks, com os convidados tendo que sair imediatamente após a celebração. 

Sem fotos do casamento de Assange 

Entre os privilegiados que assistirão à união de Julian Assange estão os guardas prisionais. Por enquanto, as imagens serão capturadas pelas câmeras de segurança da cadeia, o que não agradou aos noivos.

Moris tenta obter autorização para um fotógrafo documentar a cerimônia, o que ainda não foi confirmado pela administração de Belmarsh. Em entrevista ao jornal Daily Mail, ela reclamou da dificuldade: 

 ‘Tudo o que queremos é ter um fotógrafo em quem confiamos para tirar fotos nossas no dia do casamento, como qualquer outro casal.

“Acho que o Ministério da Justiça e Belmarsh estão extremamente nervosos com imagens fortes que mostrem Julian como um homem normal se casando, apenas sendo um humano.

“Sinto como se eles estivessem tentando fazer Julian desaparecer dos olhos do público. Se as pessoas o virem em seu próprio casamento, elas serão lembradas de que ele ainda está em prisão preventiva e que o que está sendo feito com ele não pode ser considerado justo ou humano.

Vivienne Westwood assina kilt e vestido do casamento 

Uma das mais célebres estilistas britânicas, Vivienne Westwood, foi a escolhida para desenhar as roupas usadas pelo casal. Ela tem sido uma firme defensora do fundador do Wikileaks.

No aniversário de 50 anos de Assange, protagonizou um ato de protesto destruindo o bolo em sinal de protesto pelos atos do Estado contra ele. 

A ideia de usar o saiote escocês pode ser interpretada como uma sinalização ao Reino Unido de que ele tem ligações com o país, embora seja australiano.

À agência de notícias PA, a noiva de Julian Assange disse que estavam animados, apesar das restrições.

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.