A morte da sueca Dagny Carlsson, aos 109 anos, causou comoção entre seus milhares de seguidores, mas seu perfil é bem diferente das celebridades típicas das redes: a fama foi conquistada depois de ela criar um blog aos 99, passando a ser considerada a blogueira mais velha do mundo. 

Sua amiga Elena Ström anunciou a morte na semana passada com um post no blog criado por Dagny, página que mantinha atualizada com crônicas de seu cotidiano na Suécia desde 2011.

A blogueira tinha milhares de leitores e frequentemente aparecia na imprensa, sempre espalhando a mensagem de que nunca se é velho demais para fazer o que se gosta.

Blogueira mais velha do mundo aprendeu computador aos 99 anos

Dagny Carlsoon nasceu em Kristianstad, sul da Suécia, em 8 de maio de 1912 – o mesmo ano em que o Titanic naufragou. Era a mais velha de cinco irmãos.

Depois de oito anos na escola, conseguiu um emprego em uma fábrica de camisas, onde trabalhou por 20 anos. Mais tarde,  trabalhou em uma fábrica de espartilhos ao norte de Estocolmo, onde conheceu seu segundo marido, aos 39 anos. Ela trabalhou também na Agência Sueca de Seguro Social.

O mergulho no universo digital aconteceu depois de fazer um curso de informática, já com 99 anos. Um ano depois ela criou o blog onde usava o apelido de Bojan, acumulando mais de 5 milhões de visitas. 

A amiga Elena ajudava Dagny a criar posts e interagir com os seguidores da página. Ao jornal Expressen, ela disse que as duas eram “inseparáveis ​​desde 2011”.

Dagny Carlsson e Elena Ström (reprodução blog)

Na tela de abertura do blog, Dagny Carlsson se descreveu como “uma tia durona, que gosta da maioria das coisas”, tem senso de humor e é “um pouco direta”.

Página inicial do blog de Dagny Carlsson (Foto: Reprodução/123minsida)

Com a sabedoria dos mais velhos, ela filosofa sobre a dificuldade de encontrar o equilíbrio entre falar a verdade e ferir sentimentos, dilema de quem se expõe na mídia:

“Ser direto é provavelmente discutível. É fácil pisar no calo de alguém e eu não quero fazer isso. Mas eu definitivamente acho que você tem que ser verdadeiro e honesto”.

Ela postava várias fotos de si mesma em diversas situações, e dizia que “sempre foi curiosa”.

Os textos do blog são sobre assuntos corriqueiros e variados, com uma boa dose de humor.

Carlsson saudava a chegada das estações, falava de suas experiências fazendo compras ou tentando adquirir uma passagem de trem online e relembrava histórias de família. 

Dagny Carlsson, trabalhando em seu blog (reprodução)

Irônica, a blogueira fazia observações sobre os tempos modernos, mas sem saudosismo e sim com um estilo de cronista. 

Em um dos posts sobre uma receita caseira, observou que os programas de gastronomia passaram a apresentar ideias “cada uma mais esquisita que a outra e com ingredientes que você não encontra na loja de conveniência e nem sabia que existiam.”

Em 2018, a blogueira conheceu o rei Carl XVI Gustaf e sua esposa, a rainha Silvia, no palácio real de Estocolmo.

Após sua morte, a realeza sueca prestou homenagem a ela postando uma foto do encontro no Instagram.

‘She rocks! ‘ 

“Tenho auto-realização quando escrevo”, disse a blogueira mais velha do mundo à Al Jazeera em um documentário de 2017 . “Antes tarde do que nunca.”

Em uma cena, Dagny se diz intrigada com o uso da expressão “you rock” (ela arrasa, em tradução livre) num comentário de leitor do blog, já que não dançava há muito tempo. Podia não dançar, mas arrasava em lições de vida. 

A blogueira continuou a viver de forma independente até o ano passado, quando se mudou para uma casa de repouso.

Seu último post no blog foi em 28 de janeiro, quando escreveu: “Como um gato, tenho pelo menos nove vidas, mas não sei para que devo usar tanto da vida”.

Ela também estava ansiosa para comemorar o aniversário de 110 anos em maio, “de preferência com uma pequena festa”. 

Leia também

Guerra nas redes: Facebook pagou empresa para difamar TikTok nos EUA, denuncia jornal

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.