Londres – Seguindo a tendência de diversificar fontes de receita para compensar as mudanças na indústria da mídia que colocaram em xeque o modelo de financiamento apoiado em propaganda, o jornal The New York Times licenciou o jogo online Wordle para a empresa de brinquedos Hasbro. Ele sai do mundo online um bem analógico jogo de tabuleiro.

O jogo de adivinhação de palavras tinha sido adquirido pelo jornal americano  em janeiro, depois de virar um fenômeno espontâneo nas redes sociais. No relatório trimestral divulgado em abril, o NYT creditou a ele seu ganho sem precedentes de milhões de novos usuários no período. 

E não é só a imprensa tradicional que está apostando em jogos para reter a audiência e aumentar receita. O Spotify adquiriu o Heardle, o spin-off musical do Wordle, e vai oferecer o jogo dentro do seu aplicativo como forma de aumentar a interatividade para os fãs de música.

Jogo de tabuleiro Wordle já em pré-venda 

O lançamento acontece em outubro na América do Norte, mas o brinquedo já está disponível na pré-venda por US$ 19,99 (cerca de R$ 100), recomendado para maiores de 14 anos. Na embalagem está a grife New York Times. 

Criado por Josh Wardle, que usou seu próprio nome para fazer um trocadilho, o Wordle foi lançado em outubro de 2021 e é considerado um fenômeno. Engenheiro de software galês que vive em Nova York, ele criou o jogo inicialmente para amigos e familiares, mas a moda pegou.

Foram criadas várias imitações se versões não oficiais em diversas línguas, incluindo em português.

O game online é simples: os jogadores devem tentar descobrir, somente uma vez por dia, uma palavra de cinco letras em seis chances. A sensação viralizou nas redes sociais, já que o desempenho dos jogadores pode ser compartilhado com os amigos, num formato de bloquinhos coloridos.

O jogo de tabuleiro resultado do licenciamento, que ganhou o nome de “Wordle: The Party Game” vai tentar recriar essa experiência, fazendo com que amigos se enfrentem na adivinhação de palavras. Quem conseguir acertar com menos tentativas será o vencedor.

O vídeo de apresentação, divulgado pela Hasbro, mostra os elementos do brinquedo, que lembram os antigos jogos de adivinhação do passado. Não há nada tecnológico ou eletrônico que de longe lembre a origem digital do Wordle. 

Em cada rodada, um jogador designado como Wordle Host escreve uma palavra secreta. Assim como no jogo Wordle original, os jogadores têm seis tentativas para adivinhar uma palavra de cinco letras, competindo uns com os outros. Quanto menos tentativas um jogador precisar para acertar a palavra, menos pontos ele marcará.

 Os jogadores também podem escolher formas diferentes de brincar: jogo clássico, rápido, cronometrado ou por equipes. 

Wordle no tabuleiro é parte de estratégia de jogos 

Reconhecido pela qualidade de seu jornalismo premiado e influente no mundo, o New York Times também leva o negócio de games a sério, a ponto de ter uma divisão somente para ele, a New York Times Games. 

As palavras cruzadas são parte da experiência dos leitores desde 1942. Em 2014, o The Times introduziu a versão The Mini Crossword e depois Spelling Bee, Letter Boxed, Tiles e Vertex, compondo um cardápio de alternativas para diferentes níveis de habilidade.

Mas nada se compara ao Wordle, que chegou para completar a coleção com um capital de milhões de usuários ativos na plataforma. 

Impulsionado pelo sucesso nas redes sociais, o Wordle passou de 90 usuários diários em novembro de 2021 para 2 milhões em janeiro de 2022.

E o movimento deu certo: a aquisição do jogo somada a do site de notícias esportivas The Athletic, em negociação avaliada em cerca de US$ 550 milhões, fez a audiência do NYT disparar em “dezenas de milhões de usuários” no primeiro trimestre de 2022, segundo a empresa.

Apesar do Wordle continuar gratuito sob o domínio do jornal, a companhia disse que o trimestre da divisão de games foi impulsionado com a adição do novo título e atingiu um número recorde de assinantes.

O Times informou ter conquistado 387.000 mil assinantes no trimestre, mas não revelou quantos vieram por meio do Wordle.

“Estamos focados em quebra-cabeças de qualidade que todos podem experimentar juntos, e é por isso que estamos tão empolgados em nos unir à Hasbro para trazer um novo formato para o Wordle”, disse o chefe di NYT Games, Jonathan Knight, em comunicado à imprensa.

Spotify também aposta na interatividade

O anúncio de que o Wordle vai virar um jogo de tabuleiro veio dias após o Spotify revelar que comprou o Heardle, jogo musical que usa trechos de música em vez de letras para os usuários adivinharem a canção e o artista. O valor da negociação não foi revelado.

O Heardle é apenas um dos vários jogos inspirados no original de palavras. Ele foi lançado em fevereiro por um web designer de Londres que permanece anônimo.

Segundo o Spotify, o jogo permanecerá gratuito para todos os usuários, mas será incorporado à plataforma de streaming como uma forma de agregar “experiência interativa” para os usuários.

Para a empresa, o jogo poderá ser usado como uma “ferramenta de descoberta musical”.

“Jogar Heardle pode ajudá-lo a redescobrir faixas antigas, descobrir novos artistas incríveis ou saber o título daquela melodia ficou na sua cabeça”, diz o Spotify em comunicado.

O Heardle tem uma mecânica semelhante à do jogo de palavras: os jogadores precisam adivinhar uma música com base em suas primeiras notas em seis tentativas por dia.

“Estamos sempre procurando maneiras inovadoras e divertidas de aprimorar a descoberta de música e ajudar os artistas a alcançarem novos fãs”, comentou Jeremy Erlich, chefe global de música do Spotify.

“Heardle provou ser uma maneira muito divertida de conectar milhões de fãs com músicas que eles amam,  novas canções e uma forma de competir com os amigos para ver quem tem o melhor conhecimento musical.

Desde a sua estreia, o jogo conquistou rapidamente seguidores leais e se alinha aos nossos planos de aprofundar a interatividade em todo o ecossistema do Spotify.”

O Herdle não está disponível no Brasil. Nesse primeiro momento, apenas usuários do Spotify nos EUA, Reino Unido, Irlanda, Canadá, Austrália e Nova Zelândia terão acesso ao recurso.

Mas a empresa afirmou que em breve “mais centenas de milhões de pessoas em todo o mundo terão a oportunidade de jogar em sua língua nativa.”

Leia também

Avessa à mídia tradicional, tenista Naomi Osaka lança produtora de conteúdo com LeBron James

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.