Com as mudanças climáticas provocando efeitos cada vez mais frequentes e devastadores, preparar-se bem por meio de cursos e leituras para escrever ou falar sobre o tema é vital para informar corretamente e mobilizar governos e empresas na busca de soluções. 

Uma ótima oportunidade de se aprimorar em um tema tão complexo é o novo curso do Knight Center para o Jornalismo nas Américas, aberto a profissionais de mídia e a qualquer pessoa que se interesse por questões ambientais e escreva ou fale sobre elas em aulas, blogs ou nas mídias sociais. 

Ministrado por John Schwartz, ex-repórter do New York Times e atualmente professor da Universidade do Texas, o curso é online, gratuito e as aulas são pré-gravadas, podendo ser assistidas a qualquer momento. 

Curso sobre mudanças climáticas em quatro módulos

O programa, composto por palestras em vídeo, leituras, fóruns de discussão e questionários, é dividido em quatro módulos semanais, publicados de 8 de agosto a 4 de setembro, com tradução simultânea para português.

Todos os vídeos ficam disponíveis para quem não assistir durante a semana do lançamento do módulo. 

As aulas cobrem princípios científicos básicos das mudanças climáticas, como elas se inserem em uma grande variedade de situações do cotidiano e como abordar a questão associando às pessoas que as vivenciam, criando mais empatia com os leitores. 

Schwartz ensinará também como reconhecer e combater os métodos e ferramentas de desinformação que aqueles que se opõem à ação sobre as mudanças climáticas usam para poluir o debate científico, uma das grandes ameaças que tira o sono dos cientistas. 

Além de lecionar na Escola de Jornalismo e Mídia na Universidade do Texas, em Austin, Schwartz é um dos diretores do novo Instituto de Liderança em Sustentabilidade Global da instituição. 

Neste vídeo ele explica a crise das mudanças climáticas e a importância de combater seus efeitos, que se abatem mais severamente sobre pessoas menos favorecidas. 

Para o instrutor, é  importante que todos aprendam mais sobre as mudanças climáticas, sejam eles jornalistas científicos ou climáticos ou não, porque o clima está afetando quase tudo”.

“Um jornalista de negócios precisa entender o que as empresas estão fazendo. Um jornalista de justiça social precisa entender as questões de equidade envolvidas nas mudanças climáticas.

Um repórter que cobre alimentação precisa saber como o clima está afetando as colheitas que chegam à nossa mesa.”

“Não há editoria que não tenha um ângulo climático hoje. Portanto, repórteres precisam ter familiaridade, pelo menos com o básico, para serem capazes de lidar com os problemas à medida que entram em cena, sem medo”, disse Schwartz.

Desinformação sobre mudanças climáticas 

Outra preocupação de Schwartz é com a desinformação, que muitas vezes dá origem a  ataques por parte de negacionistas do clima contra quem defende a necessidade de adotar soluções para conter o aquecimento global, sejam jornalistas ou não. 

“Qualquer pessoa que escreva sobre mudanças climáticas pode esperar receber críticas de pessoas que não aceitam as evidências científicas […] ”, disse o instrutor

“Quando você escreve sobre clima, você pode esperar uma briga.

Portanto, entender as ferramentas de desinformação, entender não apenas por que as mudanças climáticas estão acontecendo e o que são, mas também ser capaz de analisar os argumentos das pessoas que  atacam, é muito importante […].”

Schwartz também enfatizará a importância de não se concentrar apenas “nos ursos polares em perigo, mas nas pessoas afetadas pelas mudanças climáticas”.

“Uma das coisas importantes no curso é a importância de encontrar ângulos que funcionem, que atinjam os leitores”, disse Schwartz.

“Passei anos da minha carreira aprendendo sobre ciência e escrevendo sobre estudos científicos.

Mas essa não pode ser a única maneira de escrever sobre mudanças climáticas, porque o clima afeta pessoas reais em suas vidas,  e contar suas histórias faz com que este tema se espalhe por todo o mundo.

Essas são as histórias às quais pessoas reagem.”

As inscrições para o curso podem ser feitas na plataforma de cursos do Knight Center.

Veja a programação do curso do Knight Center 

O primeiro módulo aborda os fundamentos da mudança climática – o que sabemos sobre a questão e como ficamos sabendo.

A ciência do clima vem se desenvolvendo há mais de cem anos, e o curso apresenta os muitos ramos da ciência que afirmaram a existência das mudanças climáticas e os efeitos que estão causando em todo o mundo.

O segundo módulo trata sobre o que é afinal uma matéria sobre clima.  Schwartz demonstra que “praticamente tudo”. E descreve como como a cobertura climática da mídia mudou ao longo dos anos, a partir de uma narrativa de “ambos os lados” que citava negacionistas junto com especialistas em ciência do clima.

Também é enfatizada no curso a importância de dizer o que as mudanças climáticas não são, e evitar o impulso de atribuir todos os eventos climáticos extremos às mudanças climáticas.

O terceiro módulo é dedicado à desinformação. descrevendo as ferramentas para enganar que são usadas há décadas pela indústria de combustíveis fósseis e outros setores que desejam evitar regulamentações.

No módulo final do curso, John Schwartz “olha além dos ursos polares tristes”, demonstrando como falar sobre mudanças climáticas de uma forma atraente para os leitores, aliando representações precisas da ciência com histórias humanas.

A sessão inclui análises de pesquisas que mostram os tipos de reportagens de maior interesse por parte do público, sobretudo as que apresentam soluções.

Entre as lições do instrutor está a de que não se deve apenas condenar o futuro, criando pânico e uma sensação de impotência. E que “não é bobagem escrever sobre esperança”.