Depois das entrevistas em que expôs ao mundo o lado oculto de seu relacionamento com a família, o príncipe Harry anunciou nesta segunda-feira (19/7) um acordo com a editora americana Penguin Random House para a publicação de um livro de memórias.

A notícia deve ter assustado o Palácio de Buckingham, pois em suas entrevistas como a que deu junto com a mulher, Meghan Markle, para a apresentadora americana Oprah Winfrey, ele falou abertamente de racismo contra Meghan e da falta de apoio para tratar de problemas emocionais.

Leia também: Meghan perde batalha na guerra contra tabloide que publicou trechos de sua carta ao pai

“Minha esperança é que, ao contar minha história — os altos e baixos, os erros, as lições aprendidas — eu possa ajudar a mostrar que não importa de onde viemos, nós temos mais em comum do que pensamos”, afirmou o duque de Sussex.

Segundo a editora, a biografia de Harry é “em um livro de memórias íntimo e sincero”.

Harry perdeu títulos militares ao deixar o Reino Unido

O livro cobrirá a vida de Harry desde a infância até os dias atuais, incluindo sua dedicação ao serviço militar, que por duas vezes o levou para a linha de frente do Afeganistão.

A carreira nas Forças Armadas é centro de uma das maiores mágoas do príncipe com a família, pois ao decidir se mudar com Meghan e o filho Archie para os Estados Unidos, Harry foi obrigado a abrir mão dos títulos militares.

Ele também vai falar da “alegria que ele encontrou em ser marido e pai”. 

Leia também: Bateu, levou: Rainha Elizabeth vai reagir a ataques de Harry e Meghan na mídia

A notícia do livro é um sinal de que os laços rompidos com a família dificilmente serão reatados. A realeza britânica tem como marca registrada o tratamento discreto de seus assuntos familiares, mesmo em situações de crise.

O lema é “don’t complain, don’t explain” (não reclame, não explique). Entretanto, a tendência é que Harry explique muita coisa e reclame de várias. 

Harry e Meghan durante entrevista a Oprah. (Divulgação/Oprah Winfrey)
Biografia deve ser publicada no final de 2022

As esperanças de reaproximação em encontros recentes (no funeral do príncipe Philip e na inauguração da estátua em homenagem aos 60 anos da princesa Diana, no mês passado) não se confirmaram. As imagens mostraram Harry e o irmão William lado a lado de forma protocolar, sem nenhum sinal de que pudessem vir a retomar o relacionamento próximo que sempre tiveram desde a morte da mãe até o casamento do príncipe mais jovem com Meghan, em 2018.  

O livro será publicado no final de 2022 em formato impresso e digital. Uma edição de audiolivro será lançada simultaneamente pela Penguin Random House Audio. 

Os termos financeiros do acordo mundial não foram divulgados. A editora anunciou que Harry doará os lucros para instituições de caridade.

Leia também

Reino Unido em “guerra cultural” às vésperas de desobrigar uso de máscaras para população

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.