Rede social mais popular entre adolescentes, o TikTok pode estar servindo de plataforma para popularizar os cigarros eletrônicos entre os jovens, alerta um estudo australiano. A equipe da Universidade de Queensland observou, após analisar vídeos com até 78 milhões de exibições na plataforma, que conteúdo mostrando o hábito de fumar como algo positivo está sendo exibido a audiências de todas as idades.

O dado traz à tona a discussão sobre o poder de influência do TikTok, com a exibição de vídeos para uma plateia majoritariamente jovem e “influenciável”, como ressalta a pesquisa. 

Leia também: Segurança infantil lidera entre fatores para TikTok deletar vídeos em 2021; Brasil é o terceiro com mais remoções

De acordo com o último relatório digital do Instituto Reuters, os usuários do TikTok são predominantemente pessoas abaixo de 25 anos de idade.

O tom de brincadeira é o mais utilizado para tratar dos cigarros eletrônicos, ou “vapes”, na rede social, com paródias, pegadinhas e narrativas engraçadas. O levantamento dividiu os posts em categorias, sendo “comédia” a mais utilizada, seguida de “lifestyle” e “marketing”. 

Consumo de cigarro eletrônico entre jovens cresceu nos EUA

A falta de regulação dificultou inclusive conclusões mais precisas dos pesquisadores australianos, que afirmam que “a promoção de produtos costuma aparecer nos vídeos, mas não é possível inferir se essa é uma atividade patrocinada”. 

Pesquisas do governo dos Estados Unidos (EUA) afirmam que o consumo de cigarros eletrônicos aumentou entre os adolescentes. Entre estudantes do ensino médio, o hábito triplicou de 2014 para 2019, chegando a 27,5% dos jovens.

Em janeiro, o site TechCrunch publicou reportagem mostrando a venda aberta de cigarros eletrônicos nos EUA usando o TikTok.

Marcas foram anunciadas sem cerimônia, e os vendedores enfatizavam que não exigiriam documento de identidade. Nos vídeos musicados, os vendedores mostram como escondem os produtos em pantufas, bolsas para maquiagem ou debaixo de doces.

Foto: iXimus/Pixabay
TikTok afirma que irá remover conteúdo promovendo “vapes” na plataforma

A pesquisa da Universidade de Queensland destaca que há muitos vídeos na plataforma ensinando a esconder os vaporizadores e até mesmo como ocultá-los em bagagens para passar por aeroportos.

Leia também: Usuários de redes “jovens”, como Snapchat e TikTok, preferem se informar com influencers

Em comunicado, o TikTok disse que proíbe “estritamente conteúdo que retrate ou promova a posse ou consumo de tabaco e drogas por menores. Removeremos o conteúdo e as contas identificadas como dedicadas à promoção da vaporização e não permitimos anúncios de produtos de vaporização ou bolsas de nicotina”.

Ao todo, o estudo australiano analisou 808 vídeos, com uma média de 1 milhão de exibições cada.

Segurança infantil é fator número 1 de remoções na plataforma

No primeiro balanço trimestral deste ano, o TikTok havia manifestado que a segurança de crianças foi o motivo principal de remoção de vídeos da plataforma . O Brasil é o terceiro país com o maior número geral de vídeos deletados da plataforma

No total, quase 62 milhões de vídeos foram apagados da plataforma, o que representa “menos de 1% de todos os vídeos postados no TikTok”, segundo a rede social.

Em janeiro deste ano, o TikTok introduziu novas configurações de privacidade para adolescentes: usuários entre 13 e 15 anos têm por padrão as contas privadas e a plataforma restringe quem pode baixar seus vídeos e interagir com eles.

Para contas de 16 a 17 anos, os recursos de Duetar e Costurar são permitidos apenas para amigos.

Leia também

Influencer brasileiro é citado em caso internacional de fake news em posts pagos

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.