Menos de uma semana depois de a Apple anunciar um pacote de ferramentas em seu sistema operacional para combater o assédio sexual a crianças, o Google seguiu os passos e também vai adotar novas políticas em suas plataforma  e atualizações de seus produtos para evitar os abusos. 

As novidades incluem mudanças em diversas áreas e produtos, como no YouTube, na pesquisa do Google, na maior transparência dos aplicativos e até na publicidade veiculada pela empresa, com restrições para exibição de anúncios inadequados a menores. 

As medidas anunciadas buscam reforçar a proteção das crianças até 13 anos à exposição de conteúdo adulto, e passam a estender as salvaguardas adotadas aos adolescentes e jovens até 18 anos. 

Photo: Site Google

A empresa promete que as mudanças estarão efetivadas nas próximas semanas e meses, e não esconde em seu comunicado que os avanços foram incentivados por novas regulamentações impostas por alguns países:

“Alguns países estão implementando regulamentações nessa área e, conforme as cumprimos, estamos procurando maneiras de desenvolver experiências de produtos consistentes e controles de usuário para crianças e adolescentes em todo o mundo.” 

Leia também: Apple anuncia ferramenta para monitorar fotos e evitar abuso infantil

Controle das imagens dos menores de 18 anos na pesquisa do Google

Qualquer pessoa com menos de 18 anos (ou seus responsáveis) poderá solicitar a remoção  de suas imagens dos resultados da pesquisa do Google. Embora isso não signifique a remoção da web, já dificultará que sejam encontradas as imagens indesejadas.

Outra novidade será a ativação padrão do SafeSearch  (que bloqueia resultados de conteúdo adulto) para os usuários de menos de 13 anos com contas gerenciadas pelo Family Link  (já que pela política da empresa as crianças só podem ter contas supervisionadas pelos responsáveis).

A empresa promete nos próximos meses estender essa ativação padrão para todos os usuários com menos de 18 anos e em todas as novas contas que vierem a ser configuradas para esse público.

Avisos para dormir e desativação da reprodução automática no YouTube

Uma  série de medidas serão implantadas no YouTube , a começar pela reprodução automática de vídeos nas contas de todos os usuários com menos de 18 anos.

Photo: Site Google

No  YouTube Kids , dedicado às crianças, a opção de reprodução automática será adicionada, mas desativada na configuração padrão, dando aos pais a opção de ativá-la.

A empresa também ativará avisos para lembrar das horas de pausas e de dormir nas contas de todos os usuários com menos de 18 anos.

Configuração do YouTube na opção mais privada possível

A fim de aumentar a proteção contra abusos, a configuração padrão das contas dos adolescentes até 17 anos será alterada para a mais privada disponível.

Leia também: WhatsApp classifica ferramenta da Apple para prevenir abuso infantil como “sistema de vigilância”

Histórico de localização não poderá ser ativado

Os usuários com menos de 18 anos não terão mais a opção de ativar o seu histórico de localização. Até agora, a impossibilidade de ativação desse histórico só acontecia com as contas supervisionadas de crianças.

O histórico de localização é desativado por padrão em todas as contas, mas os usuários com mais de 18 anos permanecerão com a opção de ativá-lo.

Aplicativos deverão informar como usam dados coletados

Os aplicativos serão obrigados a divulgar mais detalhadamente como usam os dados coletados, tornando mais fácil para os pais decidirem se o produto é adequado para seus filhos antes de baixá-lo.

Photo: Site Google

Também será lançada uma  nova seção de segurança  para apresentar quais aplicativos seguem as políticas do Google Play .

Mais atenção na exposição de anúncios publicitários

A empresa promete ainda aumentar as salvaguardas para evitar que categorias de anúncios sensíveis à idade sejam exibidas para os menores de 18 anos, passando a bloquear a segmentação da publicidade com base na idade, sexo ou interesses para esse público.

E novos filtros darão mais facilidade aos pais bloquear notícias, podcasts e acesso a páginas da web em dispositivos inteligentes com Assistente habilitado.

Leia também

facilitar

 

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.