Londres – Entre as diversas ações de comunicação realizadas durante a COP26, a que chamou mais a atenção do guru da propaganda brasileira Washington Olivetto foi o Brazil Climate Action Hub, o Pavilhão da Sociedade Civil Brasileira montado na conferência em Glasgow:

“Lá o Greenpeace conversou com o agronegócio e os influenciadores do Complexo do Alemão trocaram ideias com banqueiros e empresários”.


Esta matéria faz parte do Especial COP26 – veja o relatório 


COP26, consumo e Brasil

Olivetto classificou a iniciativa como “um espaço fundamental para um país com as dimensões geográficas, o tamanho populacional e as necessidades e responsabilidades do Brasil diante dele mesmo e do mundo”.

Veja a seguir como a COP26 deve influenciar o mundo da comunicação daqui para a frente, na visão de Olivetto:

Hábitos de consumo

“Alguns hábitos de consumo devem iniciar ou continuar seu processo de mudança. Veganismo, automóveis a diesel e automóveis elétricos são bons exemplos”.

Marcas que se destacarão

“Alguns negócios, marcas e setores devem, sem dúvida, ficar mais expostos.

E as marcas preferidas a longo prazo serão aquelas preocupadas em prestar serviços, ao invés de apenas vender”.

“Marcas preferidas serão aquelas preocupadas em prestar serviço, ao invés de apenas vender”.

Consumidor mais consciente

“Eu não diria que o consumidor está mais esperto, palavra que carrega uma pequena conotação pejorativa, ligada à irresponsabilidade. 

Diria que o consumidor está mais consciente e vai ficar cada vez mais. Esse é um processo irreversível”.

Impacto mais duradouro

“O impacto deve ser maior e mais duradouro porque existe muito mais gente jovem envolvida com a COP26 do que com a Eco92, por exemplo. 

A presença dos jovens é uma garantia da visibilidade e durabilidade maior do evento. E, por consequência, da sua possibilidade de bons resultados”.

“Jovens são a garantia da durabilidade dos efeitos e da maior possibilidade de bons resultados”.

Imagem do Brasil

“Eu achava que os episódios pré-COP26 prejudicariam mais a marca Brasil, já tão afetada. Mas dessa vez meu intuitivo falhou. Acho que tais fatos afetaram mais a imagem do presidente, que já vinha em visível queda. 

Mesmo assim, a imagem do país ainda carrega o pesado desgaste gerado pela má gestão durante a Covid-19”.

Promessas irresponsáveis

“Momentos de irresponsabilidade e até folclóricos sempre existirão enquanto o mundo for mundo. 

Lembro que na Eco92, no Rio de Janeiro, existiam pessoas que vendiam micos pintados com spray dourado como o verdadeiro mico-leão-dourado da Conferência. 

As vítimas compradoras descobriam que haviam caído num conto depois da primeira chuva, quando os micos desbotavam. Essa história entrou para o anedotário do evento”.

“Momentos de irresponsabilidade existirão enquanto o mundo for mundo”.

Leia mais 

COP26 | Especialistas e correspondentes internacionais analisam a cúpula do clima