A assustadora sequência de massacres causados por atiradores nos EUA tem provocado indignação e discursos inflamados, mas uma imagem emergiu como símbolo mais poderoso do que qualquer palavra: a de um par de tênis na cor verde com um coração desenhado no bico.

Durante uma entrevista coletiva na Casa Branca, o Converse de cano longo no colo da modelo brasileira Camila Alves, mulher do ator americano Matthew McConaughey, foi usado para ilustrar o horror dos massacres em escolas do país e acabou incorporado como imagem principal nas redes sociais e em protestos.

Ele pertencia a Maite Rodriguez, de 10 anos, uma das vítimas do tiroteio em uma escola de Uvalde, no dia 24 de maio. Ela foi desfigurada pelos tiros e o calçado foi a única forma de identificá-la.

Ator faz discurso emocionante por mais restrição às armas nos EUA

Natural de Uvalde, McConaughey se emocionou durante o discurso de 20 minutos após encontro com o presidente Joe Biden para falar sobre a política de acesso a armas no país.

Ele mostrou desenhos feitos pelas crianças mortas do massacre — todas com idade entre 9 e 11 anos — e falou, com os olhos marejados, sobre as histórias e sonhos que elas tinham.

O par de tênis de Maite, que ficou no colo de Camila durante a coletiva, foi mostrado por McConaughey ao contar a história da menina.

“Maite usava um Converse verde de cano alto com um coração desenhado no dedo do pé direito porque representava seu amor pela natureza.”

“Estes são os mesmos Converse verdes em seus pés que acabaram sendo a única evidência capaz de identificá-la.”

Redes sociais fazem campanha para homenagear vítima de armas nos EUA

A mãe de Maite Rodriguez, Ana Rodriguez, compartilhou uma ilustração no Facebook de um par de tênis verde da Converse com um coração vermelho.

“Devemos agir para acabar com a violência armada, agora”, diz o texto da imagem.

Após o discurso do ator na Casa Branca, usuários americanos começaram uma campanha espontânea nas redes sociais pedindo que a Converse renomeie o modelo clássico Chuck Taylor verde em homenagem à Maite Rodriguez.

Uma das publicações no Twitter já tem quase 70 mil curtidas e mais de 10 mil retuítes.

Em outras postagens, o mesmo usuário também pediu que o coração desenhado seja adicionado numa atualização do modelo do tênis, e a receita seja 100% doada para o controle de armas. 

Mais pessoas se sengajaram na campanha. Alguns sugerem  doações para a cidade do massacre.

“Eu desafio a Converse a produzir em massa tênis verdes com um coração no pé direito e depois doar parte da renda para Uvalde.”

A Converse não se manifestou nas redes sociais, mas está promovendo uma série de modelos em apoio à causa LGBTQIA+, com o nome de Pride.

Engajar-se na causa do controle de armas pode ser um movimento arriscado para a imagem da empresa, já que a questão de posse de armas divide os EUA. Seus defensores podem provocar boicotes e uma campanha negativa para a marca. 

Alguns usuários relatam que os filhos pediram um par de tênis igual ao de Maite, mas que o modelo estaria esgotado nas lojas online. 

Uma busca na loja online Amazon nos EUA confirma que não está fácil achar o modelo Chuck Taylor na cor verde. Não há disponível em qualquer tamanho. 

Reprodução Amazon US

O poder de uma imagem que vira símbolo

Como a campanha nas redes sociais mostra, a imagem dos tênis verdes levados pelo ator à Casa Branca teve força o suficiente para se transformar em um símbolo do movimento para a reforma do acesso às armas nos EUA.

O ativista David Hogg, sobrevivente de um tiroteio em escola há quatro anos, tuitou uma ilustração do Converse verde e com uma mensagem incentivando as pessoas a se juntarem a um protesto no dia 11 de junho.

Ator defende porte responsável de armas 

O atiradore de Uvalde usou um fuzil modelo AR-15, arma semiautomática comumente usada por militares. Seu alto poder de fogo desfigurou a maior parte das vítimas, que precisaram ter o DNA testado para serem identificadas.

Na última semana, Mathew McConaughey a e a esposa, Camila Alves, se reuniram com diversos familiares das vítimas na cidade texana. Ele falou sobre os encontros durante a coletiva na Casa Branca. 

“Sabem o que cada um desses pais queria, o que eles nos pediram? O que cada pai expressou separadamente para mim e Camila? Eles querem que os sonhos de seus filhos continuem.”

Mesmo com o forte discurso de moderação às armas nos EUA, McConaughey destacou que não é antiarmamentista, pois foi em “Uvalde onde aprendeu sobre a posse responsável de armas”.

Mas ele afirmou que novas lei de acesso às armas são necessárias.

No ano passado, o ator texano admitiu que cogitou a concorrer a governador do estado e pesquisas o  mostraram como favorito.

No entanto, ele desistiu da carreira política dizendo que buscaria outras formas de “ajudar o povo do Texas”.

Mas depois do discurso sobre o massacre de Uvalde, o nome dele começou a circular como um possível candidato a presidente dos EUA. 

Não seria a primeira celebridade a sair do cinema para a Casa Branca. Foi o que aconteceu com Ronald Reagan. 

Se ele disputar com Donald Trump, seria um embate entre uma figura que se posicionou a favor do controle outra que se coloca inteiramente ao lado da indústria de armamentos e da liberdade total para acesso a armas. 

Leia também

Invasão do Capitólio, heróis ucranianos e mais: os vencedores do Pulitzer de Imprensa 2022

Invasão ao Capitólio dos EUA, 6 de janeiro 2021

Se a pressão do tênis verde terá força para mudar as políticas sobre posse de armas do país, só o tempo irá dizer.

Mas na mesma semana do discurso de Matthew McConaughey, outra poderosa imagem completou 50 anos, conhecida por entrar para a História ao mudar o rumo de uma guerra.

A foto chamada popularmente de “Napalm Girl”, registro do fotógrafo Nick Út da jovem Phan Thi Kim Phúc correndo nua após um ataque no Vietnã, em 1972, se tornou o símbolo dos horrores dos combates.

Para Út, ver a guerra pessoalmente fornece uma perspectiva da vida humana que poucos podem experimentar. Talvez por isso sua imagem in loco foi e ainda é capaz de transportar os espectadores para aquele momento.

Com o tênis verde de Maite Rodriguez, McConaughey conseguiu repetir o feito do fotógrafo na Casa Branca e em rede nacional.

Leia mais

‘Napalm Girl’ e fotógrafo se encontram no 50º aniversário da imagem que marcou a guerra do Vietnã