Os esforços de países mais fechados em cercear o acesso à internet por vezes mostram que, cada vez mais, tentar frear a rede é como querer amarrar o vento. No rigoroso Turcomenistão, uma turma de fashionistas desafia a obrigatoriedade de jurar sob o Alcorão que não vão acessar sites estrangeiros. E colocam o estilo acima de tudo, inclusive do poder central na ex-república soviética.

Durante anos, as autoridades do país, de maioria muçulmana, bloquearam várias plataformas — incluindo Facebook, YouTube, Twitter e sites que oferecem serviços VPN — e prenderam pessoas que instalaram esses serviços em seus telefones celulares.

Os usuários da Internet são monitorados por meio de uma rede de “departamentos de segurança digital”. O país é governado por Gurbanguly Berdimuhammedow, considerado um ditador excêntrico que comanda o país desde 2006.

Leia também: Supermodelo britânica é obrigada a se desculpar por foto no Instagram vestindo a burca islâmica

Uma reportagem recente da Radio Free Europe (RFE) revelou que para pressionar ainda mais os cidadãos do país, o governo apelou para a religião.

Leva-se (muitos)  meses no país para se obter permissão de instalar wi-fi em casa. E, uma vez que se pode acessar a internet, os turcomenos, com se chamam os nascidos no Turcomenistão, precisam jurar sobre o Alcorão que não usarão VPN (tecnologia que simula uma conexão em outro local do mundo). 

“Esperei um ano e meio depois de preencher todos os documentos necessários e assinar os formulários de inscrição solicitando a instalação de wi-fi em minha casa. Agora dizem que devo jurar pelo Alcorão que não usarei VPN, mas nada está acessível sem VPNs . Não sei o que fazer “, disse à reportagem da RFE uma fonte local.

Um “outro mundo” no Instagram

Mas uma turma ligada em moda parece literalmente estar em outro país. É o que mostra o perfil Streetstyle Ashgabat, uma coleção de cliques estilosos de pessoas nas ruas, ou recomendando locais “cool” na capital do país (única cidade onde há internet).

Perfil de Instagram burla regras de VPN no Turcomenistão e mostra fashionistas da capital. (Reprodução)

Anastasia Bernovskaya, local de Ashgabat, criou a conta de Instagram há um ano, depois de ver páginas semelhantes na plataforma de mídia social russa VK, e perceber que não havia estilo de rua equivalente no Turcomenistão. 

“O objetivo do projeto é mostrar às pessoas no exterior que o Turcomenistão tem suas próprias tendências e fashionistas”, disse Bernovskaya, que adora estilizar roupas tradicionais turcomanas com trajes modernos, ao site Calvert Journal.

Uma espiada no perfil criado por Bernoskaya mostra que as tendências de estilo deste ano incluem: vestidos com padrões tradicionais turcomanos, roupas florais, casacos de capa grandes e ​​shorts de motoqueiro e blazer combinados. 

Seguidores mandam fotos e revelam inclusive arquivos antigos da moda turcomena. (Reprodução)

Alguns usuários contribuem com suas próprias fotos de arquivo de seus pais, mostrando a moda turcomena dos anos 1970 e 1980. Contudo, mesmo em alguns cliques modernos, a sensação é de se tratar de uma imagem de outros tempos, com calças boca de sino e carros antigos.

O mundo deve continuar sabendo pouco sobre o Turcomenistão, mas no que depender dos fashionistas, ao abrir-se uma brecha, o país será visto com estilo.

Leia também

Censura turca pode levar influencer à prisão por posts no Museu do Sexo de Amsterdã

China “cancela” astro de séries e filmes após foto em santuário japonês que evoca heróis de guerra

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.