Londres – Na semana em sofreram uma derrota em uma das batalhas contra a imprensa britânica, o príncipe Harry e sua mulher Meghan Markle receberam outra má notícia: nova pesquisa do instituto YouGov constatou que a popularidade do casal continua em queda.

Harry perdeu 9 pontos no índice de aprovação do público em cinco meses, enquanto Meghan perdeu 5 pontos.  

O embate com a mídia que teve um desfecho negativo para o casal esta semana envolveu Piers Morgan, um dos mais populares jornalistas do país, e aconteceu após a entrevista dos Sussex para a apresentadora americana Oprah Winfrey, em março.

Durante o jornal matinal que apresentava na ITV, ele disse duvidar da hipótese de que Meghan teria tido pensamentos suicidas, bateu boca com um colega de bancada ao vivo, deixou o estúdio abruptamente e acabou demitido. 

Só que esta semana o órgão regulador de telecomunicações do país, o Ofcom, que havia recebido mais de 50 mil reclamações sobre a declaração, classificou os comentários de Morgan como aceitáveis sob a ótica da liberdade de expressão. 

Leia também

Braço-direito do príncipe Charles renuncia por escândalo de doações em troca de comenda real a saudita

Em defesa da rainha 

Mesmo assim, a controvérsia causada pela entrevista, em que Meghan também disse ter sofrido discriminação racial dentro da família real, pode ter contribuído para a queda de popularidade, já que a rainha Elizabeth é uma figura lendária e muitos britânicos não aprovam ataques dessa natureza.

Segundo o YouGov, o príncipe Harry passou de 43% para 34% de aprovação do público entre março e agosto. A duquesa de Sussex, que em março já tinha avaliação positiva baixa – 31% – caiu para 29% em abril e 26% em agosto. De cada quatro briânicos, três têm agora impressão negativa sobre ela. 

Nesse período, houve também repercussão negativa de declarações do casal sobre a pandemia da Covid-19 e sobre a retirada do Reino Unido do Afeganistão.

A pesquisa revelou que o declínio do casal foi o maior dentre todos os membros da família real no mesmo período. 

Os jovens são os que continuam mais fiéis a Harry e Meghan. Aqueles com idade entre 18 e 24 anos têm a opinião sobre Harry dividida: 47% aprovam o príncipe e  44% desaprovam. Meghan manteve 50% de popularidade na faixa etária mais jovem, mas 40% têm avaliação negativa sobre a duquesa.

Entre os mais velhos, que tendem a ser mais conservadores e fãs incondicionais da monarquia, a situação se inverte. Apenas 13% das pessoas com 65 anos ou mais são a favor dos Sussex.  

pastedGraphic.png

No topo da lista de admiração continua a rainha, que aos 96 anos, discreta e longe de polêmicas é o membro da família real mais popular, com 80% doa aprovação do público.

Ela é seguida de perto em popularidade pelo segundo na linha de sucessão ao trono, o príncipe William, que agora é duas vezes mais popular (78%) do que o irmão Harry. Kate, a duquesa de Cambridge, é tida em alta consideração (75%).

Mas se aprovação pública contasse na hora de escolher quem vai assumir a coroa depois que a rainha morrer, o primeiro na linha de sucessão, o príncipe Charles, estaria em maus lençóis. Pouco mais da metade dos britânicos – 54%  têm atualmente uma visão positiva sobre ele.


Leia também

Nos disparos de Meghan e Harry contra a Coroa, imprensa também saiu ferida

A esposa de Charles, Camilla, acusada de ter sido o pivô da separação da princesa Diana, ainda não é bem aceita pelo público do país.  Menos da metade (43%)  das pessoas têm uma opinião positiva sobre ela, enquanto 42% têm uma opinião negativa. Mas ela subiu em popularidade em comparação a março. 

O príncipe Andrew, que enfrenta acusações de envolvimento sexual com menores de idade, continua sendo o membro da família real menos popular. Cerca de 83% do público tem uma opinião negativa sobre ele, em comparação com apenas 6% que o consideram positivamente.

Leia também