O curso “Jornalismo científico: da pandemia à crise climática, como melhorar a cobertura científica”, realizado durante quatro semanas entre outubro e novembro ro, está agora disponível como um curso autodirigido na plataforma de aprendizado online do Centro Knight para o Jornalismo nas Américas da Universidade do Texas. 

O instrutor é o jornalista de ciência brasileiro Thiago Medaglia, especializado na cobertura de meio ambiente e saúde. O programa é aberto a jornalistas profissionais, acadêmicos que desejem aprimorar suas habilidades na divulgação científica e também a pessoas que escrevam sobre ciência em sites e blogs pessoais.

Além do curso, o Centro Knight também lançou a edição brasileira de seu Manual de Edição em Jornalismo Científico, desenvolvido em conjunto com o Massachusetts Institute of Technology (MIT), que pode ser baixado gratuitamente.

A importância do jornalismo científico 

Com o mundo transformado pela pandemia da Covid-19 e a crise das mudanças climáticas se acentuando, a precisão ao escrever sobre ciência é cada vez mais importante. 

O curso do Knight Center foi desenvolvido com o apoio do Instituto Serrapilheira e atraiu 2.378 alunos de 36 países.

Thiago Medaglia destaca a relevância do aprendizado na área:

“Precisamos de mais jornalistas engajados ativamente em conversas e trocando informações sobre ciência durante seu trabalho. Precisamos construir uma comunidade forte de jornalistas com conhecimento satisfatório sobre ciência, e precisamos disso o mais rápido possível porque vivemos em um mundo em crise e temos uma grande responsabilidade como comunicadores. Precisamos ser precisos e eficazes, e isso só vem com a experiência e o estudo.”

O instrutor se disse surpreso com a quantidade de cientistas que fizeram o curso:

“Para mim, isso é um sinal de que também precisamos investir para ajudar os cientistas a desenvolver habilidades de comunicação. Afinal, estamos todos a bordo da mesma rocha gigante flutuante no espaço e, com habilidades e funções complementares, somos todos agentes ativos na produção e compartilhamento de conhecimento”, disse Medaglia.

Leia também 

Foto de brasileiro ilustra impacto da pesca em seleção global de imagens sobre conservação dos oceanos

Comedy Wildlife | Na terra, na água e no ar, as fotos mais engraçadas da vida selvagem em 2021

O programa do curso 

O curso é dividido em quatro módulos, que podem ser feitos nos dias e horários mais convenientes para os participantes. O programa inclui videoaulas da Medaglia e a participação de especialistas da área como Ana Carolina Moreno, da TV Globo, e Mercedes Bustamante, da Universidade de Brasília e da Academia Brasileira de Ciências.

Os temas são: 

  • Uma introdução ao jornalismo científico, incluindo terminologia básica, conceitos fundamentais, boas práticas e leitura de um artigo científico;
  • Confiança na ciência, com uma análise de como ela funciona, identificação de fontes e especialistas, e como reconhecer a negação da ciência;
  • Cobertura da crise ambiental e climática, incluindo um foco especial na Floresta Amazônica, Covid-19 e mudanças climáticas;
  • Interseção de jornalismo de dados e jornalismo científico, com a simplificação de assuntos complexos e tornando o conteúdo científico acessível e atraente. 

O treinamento pode ser acessado na página do Knight Center.

Leia também 

Novo relatório sobre a COP26 analisa repercussões da conferência da ONU em sete países, incluindo o Brasil

COP26 | Cobertura de imprensa massiva ‘desarma’ negacionismo climático e dissolve passividade pública

Livro do Knight Center apresenta ideias para aumentar a diversidade no jornalismo latino-americano

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.