Londres – O aniversário de Kate Middleton, a duquesa de Cambridge, que pode se tornar rainha consorte da Inglaterra, virou uma ótima oportunidade para a família real britânica dar um polimento na imagem desgastada nas últimas duas semanas pela crise envolvendo o príncipe Andrew em denúncia de assédio sexual. 

Para comemorar os 40 anos, neste domingo (9/1), as contas oficiais dos Cambridge nas redes sociais divulgaram três novos retratos da mulher do príncipe William, segundo na linha de sucessão ao trono. Ela traja vestidos glamurosos assinados pelo estilista britânico Alexander McQueen, em um estilo que lembra estrelas clássicas – ou uma figura perfeita para ocupar o trono de rainha. 

O aniversário veio em boa hora para ser aproveitado pela máquina de relações públicas do Palácio de Buckingham em seu esforço para neutralizar o impacto da tormenta enfrentada recentemente, honrando o apelido de “firma”, pela competência com que maneja sua imagem. 

Aniversário de Kate, a popular 

Kate também ajuda, mantendo um comportamento exemplar, longe de encrencas e de polêmicas como a concunhada Meghan Markle. Ela encarna os valores tradicionais da Inglaterra, como mãe de família (o casal tem três filhos) e pessoa envolvida em causas sociais.

Mas combina isso com uma pegada moderna, aparecendo com roupas normais e em atividades comuns a qualquer mãe, como levar filhos à escola.

E se deixa fotografar sorridente e serena, sem a tensão que passou a marcar a relação do príncipe Harry e de Meghan com a mídia. 

A duquesa de Cambridge  é uma das mais populares e admiradas integrantes da família real, ocupando o quarto lugar, atrás apenas da rainha Elizabeth, do príncipe Philip e do príncipe William, segundo o acompanhamento do instituto de pesquisas YouGov.

Ela é conhecida por 93% dos britânicos e admirada por 60%, quase o mesmo percentual obtido por William e Philip, empatados com 62%. 

Fonte:YouGov

E bem à frente do sogro, o príncipe Charles, futuro rei, que tem 45% de aprovação.

A comparação com a mulher de Charles, que pode ser a futura rainha quando ele ocupar o trono, é ainda mais favorável para Kate.

Camilla, a duquesa da Cornualha, faz tudo para melhorar sua imagem de destruidora do casamento de Charles com a princesa Diana, mas ainda assim é admirada por apenas 33% dos entrevistados. 

Leia também 

Tabloide admite vitória judicial de Meghan e vai indenizar duquesa por publicação de carta ao pai

Harry e Meghan perdem batalha contra âncora de TV e popularidade entre britânicos

Duquesa de Cambridge em pose de rainha

Os trajes escolhidos para a foto de aniversário de Kate também fazem parte do roteiro de relações públicas. Alexander McQueen é uma referência, que ajudou a projetar o Reino Unido no mundo internacional da moda. 

As imagens são assinadas pelo fotógrafo de moda Paolo Roversi, e entrarão na coleção permanente da National Portrait Gallery, um museu dedicado a retratos, do qual a duquesa é patronesse.

Kate Middleton (foto: Paolo Roversi/divulgação The Duke and Duchess of Cambridge)

O que chama a atenção nas novas fotos é o estilo glamuroso, que não combina tanto com o padrão Kate de aparecer em público, reservando o glamour de vestidos luxuosos para solenidades de gala. 

Em uma delas, o vestido é branco e o olhar é etéreo, lembrando retratos clássicos de rainhas exibidos nos museus britânicos. O detalhe do anel de noivado ajuda a construir a imagem da monarca. Os brincos pertenciam à princesa Diana.

Kate Middleton (foto: Paolo Roversi/divulgação The Duke and Duchess of Cambridge)

Pode ser coincidência, mas em se tratando do Palácio de Buckingham, é difícil acreditar que seja, pois nada ali acontece por acaso, sem um cuidadoso planejamento de comunicação. 

A aparência “real” das fotos funciona bem para projetar a imagem de uma futura rainha, servindo como elemento na campanha silenciosa para afastar uma ideia que assombra a realeza: o aumento no número de pessoas que não acham que Elizabeth II deve ser substituída. 

E seria uma rainha moderna, que sorri e se comunica bem com a sociedade. No fim do dia, ela foi ao Twitter agradecer os votos de felicidades, o fotógrafo e a National Gallery, exibindo a terceira foto do ensaio. 

Foi um tweet incomum, pois as postagens na conta oficial não costumam ser pessoais como esta. 

As imagens foram feitas no jardim botânico Kew Gardens em novembro, e serão exibidas em três locais diferentes antes de serem levadas para o museu, que está fechado para obras.

Um deles é Berkshire, cidade onde ela nasceu e foi criada. O outro é  St. Andrews, onde ela fez faculdade e começou a namorar o príncipe William.

E o terceiro é Anglesey, onde o casal morou junto um pouco antes e no início de seu casamento, em uma forma moderna de relacionamento sinalizando os novos tempos da monarquia. 

O primeiro a ficar encantado com os retratos foi o autor.

Paolo Roversi, famoso por trabalhar com estrelas da indústria como Naomi Campbell e Kate Moss, descreveu fotografar a duquesa como ‘um momento de pura alegria’. 

Ele disse que com sua “energia positiva”,  a futura rainha consorte pode “trazer esperança para o mundo inteiro”.

Seria uma versão 2.0 de Diana, que andou pelo mundo defendendo causas sociais, só que bem afinada com os rituais da monarquia e feliz toda vida com o marido. 

Aniversário de Kate não tem polêmicas para lembrar 

Nas retrospectivas feitas pela mídia no aniversário de Kate o tom é positivo, já que ela conseguiu navegar bem em um mar de tormentas que afetou a família real recentemente, sendo a briga entre os irmãos William e Harry uma das principais. 

A duquesa não tem origem nobre, vem de uma família normal. E não foi amada pela imprensa britânica logo de cara. Ela soube conquistar seu espaço no coração do futuro rei da Inglaterra e dos súditos. 

O romance durou quase dez anos, com direito a duas separações e algumas estripulias do futuro rei.

Pela sua resistência aos altos e baixos, chegou a ser apelidada de “Waity Katie” pela imprensa, em alusão à espera eterna pelo príncipe encantado.  

Mas compensou, pois ela conquistou o príncipe e um séquito de admiradores (principalmente mulheres) em vários países, com uma quantidade enorme de contas em mídias sociais cultuando o mito da princesa normal e publicando foto atrás de foto a cada movimento da princesa. 

Esta, da Espanha, mostra uma foto do casal no início do namoro. 

Repetindo a história da princesa Diana, a duquesa de Sussex virou referência de moda, com seus looks imitados e roupas com que aparece em público esgotando-se em minutos nas lojas. 

Também no visual ela faz o gênero normal, usando peças de lojas populares como a Zara, acessíveis aos súditos. 

Mas é como mãe que  se destaca, e oferece aos estrategistas de comunicação o melhor elemento para ajudar na imagem da monarquia.

Os três filhos lindos e simpáticos reforçam a reputação de uma família bem estruturada e sólida, alento para rainha a Elizabeth, que viu três de seus quatro filhos se divorciarem – e no caso de Charles e Diana, de forma dramática, em meio a denúncias de maus tratos e infidelidade. 

A duquesa se especializou em fotografia, e regularmente publica fotos dos filhos nas redes, que viralizam rapidamente. 

No Natal, a conta oficial nas redes sociais divulgou uma foto que retrata o sonho de uma realeza estável e feliz, de roupas informais como qualquer família. 

A máquina de relações públicas não perde uma chance de alimentar o mito Kate.

Ela tem uma atividade intensa participando de eventos de caridade e apoiando causas sociais. Uma delas é a ambiental, junto com o príncipe William, que criou um prêmio global para valorizar iniciativas para controlar as mudanças climáticas. 

Na solenidade em que os vencedores foram anunciados, em novembro, os dois foram com roupas usadas e pediram para que os convidados não usassem peças novas como sinal de respeito ao meio ambiente. 

Leia mais 

A “ofensiva verde” da família real britânica a duas semanas da conferência mundial do clima

Foto: divulgação Kensington Palace

No período de Natal, ela ganhou manchetes e viralizou nas redes sociais com uma demonstração de suas habilidades ao piano em homenagem aos mortos e isolados pela Covid em um especial na rede ITV. 

Nada mais nobre do que uma candidata ao posto de rainha que sabe tocar o instrumento clássico da nobreza. Só que com toque pop, ao lado do cantor Ian Tom Walker, para agradar a todas as faixas etárias. 

Kate, aniversariante do dia, e sua ‘rival’ Meghan Markle

Quando o príncipe Harry anunciou o noivado com Meghan Markle, muitos especularam sobre rivalidade entre as duas e sobre a possibilidade de a americana politicamente correta, que expressava suas opiniões, pudesse roubar o trono da popularidade de Kate Middleton. 

Quem apostou nessa hipótese perdeu feio.

Meghan virou pivô da maior ruptura no seio da realeza britânica em tempos recentes, que culminou com a mudança do duque e da duquesa de Sussex para os EUA e afastamento das funções reais. 

Quando Harry e Meghan colocaram a boca no mundo para reclamar da família – e segundo rumores, vazaram detalhes sobre supostas brigas internas – a duquesa de Cambridge chegou a ser envolvida. 

 A história, até hoje mal contada, seria uma briga das duas antes do casamento, durante a prova dos vestidos das damas de honra, em que uma delas teria chegado a chorar. 

O fato é que não pegou, e o aniversário de Kate traz para ela o presente de estar bem distante em popularidade de sua suposta rival. 

Meghan só perde para o príncipe Andrew, que amarga o último lugar na lista do instituto YouGov – e no coração dos súditos de Elizabeth II.

Família real abalada pelo escândalo do príncipe de Andrew 

O aniversário de Kate coincide com o agravamento da crise de imagem que vem afetando a realeza nas últimas semanas.

Acusado de assédio sexual por ter mantido relações com uma jovem menor de idade, o príncipe Andrew tenta a todo custo encerrar o processo movido contra ele nos Estados Unidos, mas as chances são remotas.

O mais provável é que ele enfrente um julgamento em que fatos negativos sobre a sua conduta, associados à sua amizade com o pedófilo Jeffrey Epstein, ocupem as manchetes por um bom tempo. 

Enquanto isso, crescem as pressões para que Andrew, tido como o filho preferido de Elizabeth II, deixe de usar o título de duque, afaste-se inteiramente das funções reais que ainda mantém e saia dos cargos militares. 

O imbróglio dá combustível para o movimento republicano, que defende a não substituição da rainha por outro monarca. 

O aniversário de Kate Middleton e sua aura de rainha transmitida pelas fotos reveladas em seus 40 anos é um movimento de relações públicas apropriado para encantar e transmitir a mensagem de que com uma bela e bem comportada rainha, porque não continuar a tradição? 

Leia também 

Sob pressão, Príncipe Andrew tenta encerrar processo de assédio sexual nos EUA

Crise na realeza britânica: Andrew pode ser “cancelado” como duque de York para preservar Elizabeth II

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.