Londres –  Dois registros impressionantes de tubarões foram destaque no Underwater Photoghapher of the Year (UPY), um dos principais concursos de fotografia subaquática do mundo, que acaba de revelar os vencedores de 2022. 

Um deles, em que o animal parece estar olhando para a câmera quase na linha da água, valeu ao inglês Matty Smith o título de fotógrafo subaquático britânico de 2022.  

E o ‘jantar’ de cinco tubarões-baleia alimentando-se juntos nas ilhas Maldivas à noite, registrado pelo espanhol Rafael Caballero, venceu o prêmio principal, concorrendo com mais de 4,2 mil imagens subaquáticas enviadas por fotógrafos de 71 países.

Fotografia submarina flagrou encontro de gigantes

Em Dancing With the Giants of the Night (Dançando com os gigantes à noite) Caballero conseguiu registrar os tubarões-baleia, os maiores peixes do mundo, alimentando-se juntos de plâncton noturno.

Neste vídeo, Fernandez conta como conseguiu fazer a foto, que considera um dos momentos mais incríveis que já viveu. O vídeo mostra outras imagens que ele fez no mesmo mergulho. 

“Primeiro chegou um tubarão. Depois, mais e mais continuavam chegando.

Eu estava mergulhando com Gador Muntaner, um pesquisador de tubarões, que não conseguia acreditar na quantidade que via. Ele contou 11 tubarões naquela noite , um encontro único na vida que ninguém pensou ser possível.”

Para Alex Mustard, um dos juízes da competição, as condições de luz e o movimento dos animais formaram o quadro perfeito na captura:

 “A fotografia precisa de luz. Registrar esses gigantes em um oceano escuro é uma grande conquista. Fazer isso com uma luz tão bonita e uma composição cuidadosa dos cinco tubarões é excelente.”

Fotógrafo subaquático encarou o tubarão branco

Outra fera dos mares, o temido tubarão branco, também foi destaque na premiação de fotografia subaquática.

A imagem foi feita nas ilhas North Neptune por Matty Smith, um inglês que vive na Austrália.

Great White Split

Para registrar o famoso gigante, Smith precisou construir um equipamento especial para sua câmera, bem como um gatilho de disparo remoto que permitiu obter uma perspectiva única.

“Há muitos anos eu queria fazer um retrato carismático de um tubarão que mostrasse os dois lados da linha d’água. 

Algumas técnicas que eu tentei anteriormente falharam terrivelmente. Desta vez projetei e construí meu próprio equipamento para colocar a câmera exatamente onde eu queria.”


Leia também

Explosão de cores, ‘love’ de cavalos-marinhos e peixe fumante: veja os premiados do Ocean Art 2021

Fotografia subaquática a favor da natureza

O vietnamita Thien Nguyen Ngoc levou o prêmio de Fotógrafo  de Conservação Marinha de 2022 por sua foto Big Appetite (Grande apetite).

A imagem mostra barcos sobre as águas em busca de anchovas na província de Phu Yen, no Vietnã.

Imagem da pesca de anchovas do prêmio de Fotografia Subaquática
Season of anchovy fishery

“A anchova salgada é a matéria-prima mais importante no molho de peixe tradicional vietnamita.

Mas esses pequenos peixes são a pedra angular do ecossistema. As reservas de anchovas diminuíram de 20% a 30% nos últimos 10 anos.

Quando eles são pescadas sem controle, as baleias, atuns, aves marinhas e outros predadores marinhos enfrentam fome e a população declina a níveis críticos.”


Leia também

Revoada de gansos, urso faminto e humores de esquilos: os campeões do Nature Photographer 2021


Prêmio de fotografia subaquática para novos talentos 

Os novos talentos também são reconhecidos na premiação de fotografia subaquática. Quico Abadal, da Espanha, ganhou o prêmio de revelação de 2022 com a imagem Supernova In Paradise (Supernova no paraíso).

Feito ao pôr do sol na praia de Sairee, em Koh Tao, na Tailândia, o retrato de uma amiga de Abadal na água é propositalmente mostrado de cabeça para baixo.

Foto exibida de onta cabeça no prêmio de Fotografia Subaquática
Supernova In Paradise

 “Foi uma foto bastante desafiadora, já que eu não estava usando pés de pato ou roupa de mergulho.

Também era complicado mater o foco corretamente no que eu queria fotografar. O que eu gosto nesta fotografia é a imperfeição da retrodifusão, recriando o espaço.”


Celebração da fotografia subaquática na pandemia

Os amantes da fotografia subaquática podem ainda estar sofrendo com as restrições causadas pela pandemia, mas eles seguem mergulhando fundo na criatividade, como mostram os registros da vida submarina do Underwater Photoghapher of the Year 2022.

O UPY acontece desde 2014 no Reino Unido e foi criado pelos fotógrafos Alex Mustard, Dan Bolt e Peter Rowlands. 

Esta é a segunda edição do concurso afetada pela pandemia. Para Mustard, essa é a prova que a criatividade também se desenvolve na adversidade.

“O concurso Underwater Photographer of the Year tem como objetivo celebrar a fotografia subaquática em todas as suas formas, e estamos muito satisfeitos que muitas das imagens premiadas deste ano venham dos países de origem [dos competidores]. Algumas foram até feitas em piscinas.”

Veja uma seleção de vencedores em outras categorias:


Fotógrafo subaquático britânico mais promissor de 2022 no Reino Unido
Imagem de groselhas do mar do prêmio de Fotografia Subaquática
Diamonds and Rust

“Esta foto foi tirada em uma tarde clara, quando eu sabia que o sol estaria no lado oeste do píer em Swanage (Inglaterra). 

As groselhas do mar (espécie de água viva) já estavam em volta há algum tempo. Neste dia em particular a água estava clara como vidro.

Flutuei até lugar que queria e esperei que elas passassem lentamente. As cores de fundo são a ferrugem e o crescimento de ervas em uma viga de metal.”


Meu jardim aquático: o namoro dos sapos 
All You Need Is Love

“Tudo o que você precisa é amor! Este lago do amor fica basicamente no meu quintal, a 20 minutos de carro de casa [em Vantaa, na Finlândia]. E ele me recompensou abundantemente nos últimos dez anos. 

Passei quatro dias e quatro sessões noturnas nele em 2021. Flutuei e fiquei parado entre os sapos e logo eles aceitaram a mim e minha câmera como parte do cenário.”

A curiosa e romântica imagem de sapos durante o acasalamento também foi ganhadora na categoria Comportamento.


Leia também

Foto de brasileiro ilustra impacto da pesca em seleção global de imagens sobre conservação dos oceanos


Macrofotografia 
Mimicry, La Azhoia (Cartagena, Espanha)

Esta imagem é o resultado de muitas horas de trabalho com as espécies que vivem nos prados de vegetação marinha. 

Tanto o peixe-cachimbo (Syngnathus abaster) como o camarão verde (Hippolyte sp.) vivem nas folhas. 

Não é a primeira vez que vejo esse comportamento curioso. Consegui observá-lo em quatro ou cinco ocasiões, mas nunca consegui tirar uma boa foto (depois de muitas horas e dias procurando o momento).

Às vezes o camarão se movia e outras vezes o peixe-cachimbo se escondia rapidamente.

O peixe-cachimbo parece uma folha. Por isso, alguns camarões fundem-se com o seu corpo pensando que são folhas que se movem. Ambos são espécies miméticas.”


Fotografia de Naufrágios
Abandoned ship

“O naufrágio de Tyrifjord é um dos favoritos na área de resort de mergulho de Gülen, na Noruega. Ele fica a aproximadamente 40 metros de profundidade e é muito abrigado dos ventos. 

Este é um dos mergulhos que sempre tentamos fazer no nosso safari de naufrágio quase todos os anos. O destaque da cena é sempre o enorme volante na popa.


Leia também

Brasileiro é escolhido Fotógrafo de Esportes do Ano em concurso global com série sobre esportes radicais


Retrato subaquático
Rapunzel on Fire (foto em estúdio, na Alemanha)

“Nossa ideia era criar uma silhueta completamente preta em primeiro plano, mas ao mesmo tempo fazer contato visual com o espectador.

Para fazer o cabelo brilhar, as configurações da câmera foram ajustadas para silhueta, com três poderosas luzes estroboscópicas ao fundo.”


Fotografia em Preto e Branco
Sarah’s Underwater World (Queensland, Austrália) 

“Esta foto foi feita um ano após o início da pandemia do coronavírus, mostrando a minha sobrinha de 7 anos, Sarah, respirando debaixo d’água.

A cena reflete o poder terapêutico da água que muitos de nós experimentamos durante a pandemia. O mundo subaquático oferecia paz, conforto e esperança para os ansiosos, deprimidos e aflitos. 

Isso nos deu a chance de sentir alegria e aventura novamente, bem como liberdade do peso da pandemia – mesmo que apenas por um momento enquanto respiramos.


Foto com equipamento compacto 
Peace (Vaana, Finlândia)

“Uma vez por ano, no final de março, é a época de acasalamento dos sapos. A temporada dura apenas alguns dias e só nessa época é possível chegar bem perto deles. 

Normalmente eles são muito tímidos. Eu estava tentando fazer um split shot [foto com parte do assunto fotografado dentro d’água e parte fora] com esse sapo, quando ele começou a rastejar no meu pequeno domo de proteção.


Foto com lente grande angular em águas britânicas 
Gannet Storm (em Shetland, Escócia)

“Cerca de 40 mil gansos-patolas visitam as falésias todos os anos para colocar um único ovo e cuidar dele, pescando nas proximidades. 

Atingindo a água gelada mais rápido do que um mergulhador olímpico, essas aves incríveis desenvolveram bolsas de ar a cabeça e no peito para sobreviver ao impacto.

Eu queria criar uma nova imagem dessas belas aves marinhas e resolvi tentar capturar seu movimento usando [a técnica fotográfica de ] exposição lenta. 

A velocidade dos animais levou a inúmeras falhas. Mas neste registro conseguimos  um forte contato visual com a ave, mesmo com a cena artisticamente suavizada.”


Leia também

As melhores fotografias subaquáticas de 2021


Macrofotografia em águas britânicas
Best Buddies

“O ano de 2021 marcou o aniversário de dez anos da minha primeira viagem ao belo lago Carron. Em em todo esse tempo, nunca deixei de produzir imagens subaquáticas impressionantes de sua diversidade de habitantes marinhos.

Meus amigos sabem que não sou muito bom em encontrar Yarrels blennies [peixe comum em águas do norte da Europa], e também não foi exceção neste mergulho.

Estávamos mergulhando em uma área de corais que eu não havia explorado anteriormente, quando um companheiro de mergulho acenou com a lanterna. Desci para ver que meu amigo havia encontrado não um, mas dois lindos blennies escondidos em uma fenda.

Com a lente macro, pude me afastar dos coraiso suficiente para colocar um pouco de luz em sua casa fazendo com que todos pudéssemos ver seus rostinhos um tanto confusos. Melhores amigos com certeza!”


Vivendo juntos em águas britânicas 
A peaceful coexistence

Nos meses de verão, as águas-vivas frequentam as ilhas britânicas em maior número, atraídas pela temperatura mais alta. 

O verão de 2021 não foi exceção. Havia um grande número dessas águas-vivas em Falmouth Bay. Era uma noite de verão perfeita – clara e calma, com quase nenhum sopro de vento.

Pegamos a prancha de remo e a câmera e fomos para a praia. Eu tinha ideia de uma foto do pôr do sol como essa vagamente em mente. Felizmente todos os elementos se alinharam para criar algo bastante memorável.”


Fotografia com equipamento compacto em águas britânicas
Rock pool star

“Vivendo em águas rasas a profundas e atingindo tamanhos impressionantes, as estrelas do mar espinhosas são abundantes na Cornualha (País de Gales).

Muitas vezes tirei fotos delas debaixo d’água, mas na maré baixa elas podem ser encontradas nas piscinas rochosas expostas. 

No ano passado, tivemos marés de primavera muito baixas. Eu queria tentar algumas fotos divididas de uma estrela do mar nas piscinas. Usei uma lente ‘olho de peixe’ e tive sorte com condições de luz, encontrando uma grande estrela do mar em uma ravina ladeada por algas expostas.

A água estava límpida e calma. Como as estrelas-do-mar não são criaturas rápidas, pude compor algumas fotos com a ravina e as algas atrás, e um pouco do animal aparecendo sob a água.”


As fotos foram publicadas com autorização do prêmio de fotografia subaquática Underwater Photoghapher of the Year e não podem ser reproduzidas

See Also 

As melhores fotos subaquáticas de 2021