Londres – O ator e ex-governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger divulgou na quinta-feira (17) um vídeo de nove minutos no Twitter e no Telegram apelando para que Vladimir Putin encerrasse a guerra na Ucrânia e denunciando a propaganda estatal.

Falando ao povo russo e com legendas no idioma do país, Schwarzenegger citou o pai, Gustav Schwarzenegger, que era nazista. Ele raramente o menciona em entrevistas ou aparições públicas, e a mensagem forte viralizou nas redes sociais, passando de 28 milhões de visualizações no dia seguinte à postagem apenas no Twitter. 

O ator falou sobre as mentiras que o pai ouviu de seu próprio governo e dos efeitos dramáticos delas sobre sua vida. 

Arnold Schwarzenegger contesta ideia de “desnazificar” Ucrânia  

Figuras da oposição russa têm compartilhado o vídeo no Telegram, um dos poucos canais restantes para quem está dentro da Rússia obterem informações sem censura, já que as demais redes sociais saíram do país ou foram bloqueadas, assim como boa parte da mídia independente. 

No vídeo, o ator nascido na Áustria conta como ele cresceu idolatrando o fisiculturista russo Vury Vlasov, e como o pai de Schwarzenegger, um nazista, tornou-se um homem destruído e desiludido depois de lutar na Segunda Guerra Mundial.

“A força e o coração do povo russo sempre me inspiraram”, continua o ator. “É por isso que digo a verdade sobre a guerra na Ucrânia.”

“Sei que seu governo lhe disse que esta é uma guerra para desnazificar a Ucrânia”, disse Arnold Schwarzenegger no vídeo. 

“Desnazificar a Ucrânia? Isso não é verdade. A Ucrânia é um país com um presidente judeu.

Um presidente judeu, devo acrescentar, cujos três irmãos do pai foram todos assassinados pelos nazistas.”

Ele prosseguiu: “A Ucrânia não começou esta guerra. Nem nacionalistas ou nazistas. Aqueles que estão no poder no Kremlin começaram esta guerra.”

Ao falar sobre o pai, Schwarzenegger disse que, ao chegar a Leningrado (atual São Petersburgo), ele estava “todo animado com as mentiras de seu governo”.

“E quando ele deixou Leningrado, ele estava destruído, física e mentalmente. Ele viveu o resto de sua vida com dor; dor nas costas, dor dos estilhaços que sempre o lembravam de seus anos terríveis e dor da culpa que ele sentia.”

Leia também

Jornalista ucraniano desaparece ao ir encontrar conhecido em região patrulhada por tropas russas

Jornalista ucraniano Oleh Baturyn cobria a guerra na Ucrânia e desapareceu em região controlada por tropas russas (Foto: Divulgação/CPJ)

O ex-governador da Califórnia também mandou uma mensagem direta para os soldados russos que participam da guerra na Ucrânia.

“Vocês já sabem muito da verdade que estou falando. Vocês veem viu em seus próprios olhos. Eu não quero que vocês fiquem destruídos como meu pai.”

Arnold Schwarzenegger também abordou a censura russa à mídia independente, bem como suas táticas para enviar seus cidadãos à guerra sob falsos pretextos: “O governo russo mentiu não apenas para os cidadãos, mas para seus soldados”.

Antes de encerrar uma mensagem ao povo russo elogiando-os por sua força, Schwarzenegger dirigiu-se diretamente ao presidente russo Vladimir Putin:

“Você começou esta guerra, você está liderando esta guerra, você pode parar esta guerra”.

Na sexta-feira, o ator agradeceu aos que divulgaram sua mensagem pelo Twitter. 

“Quero agradecer a cada um que compartilhou este vídeo. Eu tive retorno de pessoas da Rússia, então eu sei que está dando resultado. Continuem pressionando”, escreveu Schwarzenegger.

Leia a mensagem de Arnold Schwarzenegger sobre a guerra na Ucrânia: 

“Tenho uma mensagem para meus amigos russos e para os soldados russos que servem na Ucrânia: há coisas acontecendo no mundo que foram escondidas de vocês, coisas terríveis que vocês deveriam saber. Mas antes de falar sobre as duras realidades, deixe-me falar sobre o russo que se tornou meu herói.

Em 1961, quando eu tinha 14 anos, tive a chance de assistir ao Campeonato Mundial de Halterofilismo em Viena. Yury Petrovich Vlasov conquistou o título de campeão mundial, tornando-se o primeiro ser humano a levantar 200 quilos acima da cabeça.

De alguma forma, um amigo meu me levou aos bastidores. De repente, um garoto de 14 anos estava na frente do homem mais forte do mundo. Eu não podia acreditar. 

Ele estendeu a mão para apertar a minha. Eu ainda tinha a mão de um menino. Ele tinha a mão de um homem poderoso que engoliu a minha, mas ele era gentil. E ele sorriu para mim.

Nunca esqueci aquele dia. Fui para casa e coloquei a foto dele em cima da minha cama. Isso me inspirou quando comecei a levantar pesos, mas irritou meu pai. 

Ele não gostava de russos, por causa de sua experiência na Segunda Guerra Mundial, quando foi ferido em Leningrado.

 (O exército nazista do qual ele fazia parte prejudicou violentamente aquela grande cidade e seu bravo povo.) Meu pai me disse para tirar a foto de Petrovich e encontrar um herói alemão ou austríaco. Mas não tirei a fotografia, porque não me importava que bandeira ele carregasse.

Anos depois, eu estava em Moscou para filmar Red Heat , primeira produção americana autorizado a filmar na Praça Vermelha. Yury e eu passamos o dia inteiro juntos. 

Ele era tão atencioso, tão gentil, tão inteligente e muito generoso. Ele me deu uma xícara de café azul que ainda uso todas as manhãs.

A razão pela qual estou contando tudo isso é que desde que os 14 anos, eu não tenho nada além de carinho e respeito pelo povo da Rússia. A força e o coração do povo russo sempre me inspiraram. É por isso que espero que você me deixe contar a verdade sobre a guerra na Ucrânia. 

Ninguém gosta de ouvir algo crítico de seu governo. Eu entendo. Mas como amigo de longa data do povo russo, espero que você ouça o que tenho a dizer.

Falei com o povo americano dessa maneira no ano passado, em 6 de janeiro, quando uma multidão selvagem invadiu o Capitólio dos EUA tentando derrubar nosso governo. Há momentos que são tão errados que temos que falar.

Eu sei que seu governo lhe disse que esta é uma guerra para desnazificar a Ucrânia. Isso não é verdade. Desnazificar a Ucrânia? É um país com um presidente judeu — um presidente judeu, devo acrescentar, cujos três irmãos do avô foram todos assassinados pelos nazistas. 

A Ucrânia não começou esta guerra. Nem nacionalistas ou nazistas. Os que estão no poder no Kremlin começaram esta guerra; esta não é a guerra popular russa.

Outros agora procuram sair. É uma crise humanitária. A Rússia, por causa de sua brutalidade, está agora isolada da comunidade internacional.

Você também não está sendo informado da verdade sobre as consequências desta guerra para a própria Rússia. Lamento informar que milhares de soldados russos foram mortos. 

Eles foram pegos entre os ucranianos lutando por sua pátria e a liderança russa lutando pela conquista. Grandes quantidades de equipamentos russos foram destruídas ou abandonadas. 

A destruição que as bombas russas estão fazendo chover sobre civis inocentes indignaram tanto o mundo que as mais fortes sanções econômicas globais já decretadas foram impostas ao país. Aqueles que não merecem em ambos os lados da guerra sofrerão.

O governo russo mentiu não apenas para seus cidadãos, mas também para seus soldados. Alguns dos soldados foram informados de que iriam lutar contra os nazistas. Alguns foram informados de que o povo ucraniano os saudaria como heróis. 

Alguns foram informados de que estavam simplesmente fazendo exercícios – eles nem sabiam que estavam entrando em guerra. E alguns foram informados de que estavam lá para proteger os russos étnicos na Ucrânia. 

Nada disso era verdade. Soldados russos enfrentaram forte resistência dos ucranianos que querem proteger suas famílias.

Quando vejo bebês sendo retirados das ruínas, sinto que estou assistindo a um documentário sobre os horrores da Segunda Guerra Mundial, não às notícias de hoje. Quando meu pai chegou a Leningrado, ele estava todo entusiasmado com as mentiras de seu governo. 

Quando ele deixou Leningrado, ele estava destruído física e mentalmente. Ele passou o resto de sua vida com dor: dor nas costas quebradas, dor dos estilhaços que sempre o lembravam daqueles anos terríveis, dor da culpa que ele sentia.

Os soldados russos já sabem muito dessa verdade. Você viu com seus próprios olhos. Eu não quero que você seja destruído como meu pai. Esta não é uma guerra para defender a Rússia como seus avós e seus bisavós lutaram. 

Arnold Schwarzenegger: a guerra da Ucrânia é ilegal 

Esta é uma guerra ilegal. Suas vidas, seus membros e seu futuro estão sendo sacrificados por uma guerra sem sentido, condenada pelo mundo inteiro. Lembre-se de que 11 milhões de russos têm conexões familiares com a Ucrânia. 

Cada bala que você atira, você atira em um irmão ou irmã. Cada bomba e cada projétil que cai não está caindo sobre um inimigo, mas sobre uma escola, um hospital ou uma casa.

Eu não acho que o povo russo está ciente de que essas coisas estão acontecendo. Por isso, exorto o povo russo e os soldados russos na Ucrânia a compreenderem a propaganda e a desinformação que lhe estão sendo transmitidas.

Peço-lhe que me ajude a espalhar a verdade para que seus compatriotas russos conheçam a catástrofe humana que está acontecendo na Ucrânia. 

Ao presidente Putin, eu digo: você começou esta guerra. Você está liderando esta guerra. Você pode parar esta guerra agora.

E aos russos que estão protestando nas ruas contra a invasão da Ucrânia: O mundo viu sua bravura. Sabemos que você sofreu as consequências de sua coragem. 

Vocês foram presos. Vocês foram presos e foi espancados. Vocês são meus novos heróis. Vocês têm a força de Yury Petrovich Vlasov. Vocês têm o verdadeiro coração da Rússia.”

Guerra na Ucrânia já matou quatro jornalistas

Prestes a completar um mês, a guerra na Ucrânia já contabiliza quatro jornalistas mortos por tropas russas.

A primeira morte foi a do cinegrafista ucraniano Evgeny Sakun, da Kiev Live TV, morto após ser atingido no bombardeio da torre de televisão da capital, no dia 1º de março.

Pouco mais de uma semana depois, o país registrou a primeira morte de jornalista estrangeiro. O documentarista Brent Renaud, dos Estados Unidos, foi alvejado por soldados russos no dia 13 de março e não resistiu aos ferimentos.

No dia seguinte, o cinegrafista americano Pierre Zakrzewski, da Fox News, e a produtora ucraniana que o acompanhava, Oleksandra Kuvshinova, também foram vítimas fatais de um ataque por parte das forças russas enquanto se dirigiam para Irpin, a 20 km de Kiev.

Dois outros jornalistas, sendo um deles o correspondente da Fox News, Benjamin Hall, ficaram feridos no mesmo ataque e foram internados.

E o número de jornalistas mortos na Ucrânia ainda deve crescer, já que dezenas de correspondentes e profissionais da mídia relatam ataques deliberados de tropas russas contra a imprensa.

Leia também

Blogueira de gastronomia que vive na França é um dos primeiros alvos da lei de fake news da Rússia

Direitos autorais reservados. Reprodução do conteúdo integral não autorizada. Reprodução do primeiro parágrafo autorizada desde que com link para a matéria original.